Clicky

Selecione a cidade
4020-9734

Notícias


Saiba como diferenciar Faculdade, Universidade e Centro Universitário

Apesar de serem instituições de Ensino Superior, cada uma tem suas especificidades.
Por: Henrique Nascimento 22/06/2017 - 13:58 - Atualizado em: 29/06/2017 - 15:45
Uma confusão completamente normal, mas é que muito fácil de ser desfeita
Uma confusão completamente normal, mas é que muito fácil de ser desfeita
O Ensino Superior é cheio de termos e classificações que muitas vezes podem ser confusas. Embora, não sejam tão incomuns no nosso cotidiano os termos Faculdade, Universidade e Centro Universitário acabam por confundir várias pessoas. Uma confusão completamente normal, mas é que muito fácil de ser desfeita. 
 
Esse tipo de classificação é feita pelo MEC (Ministério da Educação) com base em características distintas e obrigatórias de cada tipo de espaço de Ensino Superior. Mas, antes de saber como diferenciar, o importante é entender que todos esses tipos de Instituição de Ensino Superior para o MEC são, antes de tudo, Faculdades, uma vez que Universidades e Centros Universitários são complexos formados por Faculdades.

 
Universidade
A Universidade é conhecida por ser um espaço que agrupa o ensino, a pesquisa e a extensão. As Universidades reconhecidas pelo MEC tem autonomia para criar cursos. Além disso, costumam ter uma produção acadêmica relevante e oferecem pelo menos quatro programas de pós-graduação stricto sensu, sendo pelo menos um deles um doutorado.
 
Ingressar em uma Universidade é importante para quem deseja seguir o ramo de pesquisa na área escolhida e também se preparar para o mercado de trabalho. Esses espaços possuem no mínimo um terço do seu corpo docente composto por Mestres e Doutores e uma quantidade muito grande de de cursos e áreas de conhecimento.
 
Faculdade
As Faculdades, públicas ou privadas, são conhecidas por serem focadas em áreas específicas e possuírem, em sua maioria, poucos cursos se comparadas com as Universidades e Centros Universitários. Diferente das Universidades, Faculdades precisam da autorização do MEC para a criação de novos cursos.
 
Cursar o Ensino Superior em uma Faculdade é indicado para quem deseja se graduar com maior ênfase no mercado de trabalho. As Faculdades não possuem a obrigação de produzir pesquisa, no mínimo um terço de seus professores precisam ter especialização (pós-graduação lato sensu).
 
Centro Universitário
De maneira geral pode se considerar um Centro Universitário como um intermediário entre a Faculdade e a Universidade. Esse tipo de instituição costuma ter mais cursos que uma Faculdade e menos que uma Universidade e não possue a obrigação, mas pode desenvolver atividades de pesquisa e extensão.
 
Os Centros Universitários são indicados para pessoas que desejam tanto se colocar bem no mercado como se preparar bem academicamente, uma vez que o diferencial desses espaços é a qualidade profissional dos professores, pelo menos um terço do corpo docente possui por exigência do MEC mestrado ou doutorado. Esses espaços também possuem autonomia para a criação de cursos.
 
Tem mais alguma dúvida? Não sabe que tipo de instituição escolher? Escreva aqui nos comentários!

Comentários

Notícias


Como manter a postura corporal em reuniões de trabalho

Avaliar a postura é um quesito importantíssimo na hora de participar de alguma reunião de trabalho. Confira aqui o que fazer e o que não fazer nessa situação!
Por: Camilla de Assis 22/06/2017 - 12:00 - Atualizado em: 28/06/2017 - 09:30
Reuniões longas podem ser exaustivas e deixar o corpo e a mente cansados.
Reuniões longas podem ser exaustivas e deixar o corpo e a mente cansados.
Reunião. Esse é o momento de alinhar a equipe e pôr as pendências e os resultados em cima da mesa. Mas, apesar de parecer um período simples para uns, é preciso ter cuidado para não ser vítima de si mesmo. Por vezes, reuniões longas podem ser exaustivas e deixar o corpo e a mente cansados, entretanto isso não pode transparecer durante o encontro.
 

 
Pessoas que demonstram mais segurança nos trejeitos tendem a ser bem vistas por seus líderes e colegas de trabalho. Para te ajudar a tirar as dúvidas sobre como se portar em uma reunião de trabalho, trouxemos algumas dicas. Confira-as abaixo e ganhe destaque nos encontros de negócios.
 
O que fazer
 
Tenha uma postura correta para sentar
Sabe aquelas várias vezes que você viu que era mais saudável sentar formando um ângulo de 90º? Aproveite esse conhecimento e utilize-o durante as reuniões. Mantenha uma postura ereta, assim seu corpo vai “falar” que você está disposto para aquele encontro.
 
Procure deixar os ombros elevados
Deixe os ombros elevados, transversalmente à sua cabeça. Manter essas extremidades do corpo dessa forma vai deixar transparecer que você é um funcionário que está interagindo e prestando atenção no que se fala na reunião. Para ajudar a manter essa postura, você pode apoiar os braços na mesa.
 
A cabeça deve estar alinhada com o corpo
Postura correta e ombros elevados é um convite para deixar a sua cabeça alinhada com o restante do seu corpo. Procure deixar a cabeça levantada e na mesma linha do seu tronco.
 
Mantenha as mãos ocupadas
Não deixe as mãos vagando por aí. O ideal é mantê-las ocupadas com uma caneta, fazendo anotações da reunião, ou até mesmo digitando os tópicos importantes em seu notebook. O importante é demonstrar interesse naquele assunto que está sendo debatido.
 
O que NÃO fazer
 
Evite se sentar muito despojadamente na cadeira
Ficar despojado na cadeira não é uma boa forma de passar uma boa impressão em uma reunião da empresa. isso vai demonstrar que você está cansado e/ou não tem interesse naquele encontro. A cadeira tem um formato e procure obedecê-lo.
 
Nunca ponha os pés em cima da mesa
Não, nunca, em hipótese alguma você deve pôr os seus pés em cima da mesa. Aquela não é uma mesa para você descansar, mas para tratar de assuntos sérios. Lembre-se que não somente o seu desempenho inteligível, mas também corporal é avaliado na empresa.
 
Não apoie a cabeça com as mãos nem a repouse na mesa
Certos tipos de posturas podem ser considerados desinteresses por parte do funcionário. Lembre-se que apoiar a cabeça com as mãos, seja pela bochecha ou queixo, ou baixá-la pode ser prejudicial para sua imagem perante seus chefes e colegas de trabalho.
 
Não seja muito expressivo
Executar movimentos exagerados com as mãos e braços durante uma entrevista de emprego pode passar a ideia de que você está despreparado ou quer a atenção para si. Maneire na gesticulação.
 
E aí, gostou das dicas? Conte pra gente!

Comentários

Notícias


Games são coisa de gente grande. Entenda por quê

Conheça os motivos que fazem deste mercado um dos mais promissores da atualidade
Por: Paula Brasileiro 22/06/2017 - 12:00 - Atualizado em: 29/06/2017 - 15:44
A carreira em Jogos Digitais pode ser bastante promissora. Confira
A carreira em Jogos Digitais pode ser bastante promissora. Confira

Jogos eletrônicos vão muito além de desafios como salvar o planeta de ataques alienígenas e a elaboração de estratégias para conquistar territórios inimigos. Em todo o mundo, os games movimentam um mercado bilionário que, na contramão da 'crise', cresce absurdamente a cada ano. Diante tamanho sucesso, faz-se necessária a preparação de mão de obra especializada para suprir as demandas do segmento. O curso de Jogos Digitais prepara profissionais para este ramo. Um negócio que pode parecer 'brincadeira' mas é coisa para gente grande mesmo. Entenda o porquê.

 

Bilhões envolvidos

Só no Brasil, segundo levantamento da NewZoo - uma das principais condutoras de pesquisas sobre este mercado - os games movimentaram cerca de US$ 1,6 bilhão, no ano de 2016.

Área de atuação diversa

Se engana quem pensa que o curso de Jogos Digitais prepara o aluno apenas para criar novos games. A graduação de nível tecnológico ensina, além disso, como é feito o desenvolvimento de personagens, cenários e a lógica por trás dos efeitos e recursos, entre outras habilidades.

Grade curricular extensa

Para preparar o tecnólogo o curso dispõe de uma vasta grade curricular. O aluno vai estudar assuntos de matérias como física para jogos, computação gráfica, técnicas de animação e design, algoritmos, matemática aplicada e, também, desenvolvimento pessoal e empregabilidade, semiótica, responsabilidade socioambiental e empreendedorismo.

                                                           

Campo de trabalho promissor

O tecnólogo em Jogos Digitais tem um amplo campo a ser explorado no mercado de trabalho. Ele pode atuar em empresas criadoras de jogos, agências de publicidade, de produção de vídeo e cinema, de desenvolvimento de software ou produtoras de sites para a internet. Também há a possibilidade de trabalhar para si próprio, como freelancer, desenvolvendo projetos por encomenda. A faixa salarial, para quem está começando na área, é de R$ 2 mil.

E aí, já pensou em transformar a brincadeira em trabalho? Que tal descobrir um pouco mais sobre este curso? Entre no site e veja mais detalhes.

 

Comentários

Notícias


Cinema Brasileiro: arte que transcende

O cinema feito no Brasil já passou por diversas fases e hoje conta com produções de qualidade e público crescente. O dia 19 de junho foi escolhido para render-lhe homenagem
Por: Paula Brasileiro 14/06/2017 - 14:21 - Atualizado em: 19/06/2017 - 08:06
19 de junho é o Dia do Cinema Brasileiro
19 de junho é o Dia do Cinema Brasileiro

O cinema nacional começou, em 1898 com um tímido filme documental, de Afonso Segreto, que trazia algumas cenas da baía de Guanabara. A partir de então, a produção começou a crescer e, em 1908, foi lançada a primeira obra de ficção nacional, 'Os Estranguladores', de Antônio Leal. Era a chamada 'Bela Época', e os realizadores do país passaram a produzir inúmeros títulos dos mais diversos gêneros como melodrama, religioso e comédia.

 

Que tal conhecer um pouco mais do curso de Cinema e Audiovisual da Univeritas?

 

A partir de então, o cinema brasileiro atravessou diversas fases. A chanchada, na década de 1930; o 'Cinema Novo', nos anos 1950; a pornochanchada nos 1970; e uma espécie de renascimento, na chegada dos 1990, com o 'Cinema de Retomada'. De lá para cá, a produção nacional vem crescendo, resistindo às dificuldades e crises e mostrando o potencial do país na sétima arte. Só no último ano (2016), segundo dados da Agência Nacional do Cinema (ANCINE), foram lançados, no país, 143 filmes - marca recorde na história brasileira - que contabilizaram um total de 30,4 milhões de ingressos vendidos, melhor resultado obtido nas bilheterias desde 1984.

 

O dia 19 de junho é dedicado a celebrar esta arte nacional. O Dia do Cinema Brasileiro foi escolhido nesta data pois foi quando, em 1898 registrou-se as primeiras imagens, em solo nacional, com um cinematógrafo. Para celebrar, que tal conhecer alguns dos filmes brasileiros mais assistidos nos últimos tempos? Confira.

 

Os Dez Mandamentos (2016) - 11, 216 milhões de espectadores

 

Tropa de Elite (2010) - 10.736.995 de público

 

Dona Flor e Seus Dois Maridos (1977) - 10.735.524 espectadores

 

Minha Mãe é uma Peça 2 (2016) - 8,8 milhões de espectadores

 

A Dama do Lotação (1978) - 6.509.134 de público

 

Se eu fosse você 2 (2009) - 6.112.851 de espectadores

 

O Trapalhão nas Minas do Rei Salomão (1977) - 5.786.226 de público

 

Lúcio Flávio, Passageiro da Agonia (1977) - 5.401.325 de espectadores

 

2 Filhos de Francisco (2005) - 5.319.677 de pessoas

 

Os Saltimbancos Trapalhões (1981) -  5.218.478 de público

 

Você gosta do cinema nacional? Conta pra gente qual seu filme preferido!

 

Comentários

Notícias


Confira 7 dicas de uma boa aparência para entrevistas de emprego

Vai concorrer a uma vaga de emprego e não sabe o que usar? Não se preocupe! Trouxemos, em 7 dicas, a solução para este seu problema!
Por: Camilla de Assis 14/06/2017 - 12:00 - Atualizado em: 14/06/2017 - 12:00
Aparência para entrevista de emprego
Aparência para entrevista de emprego
Com que roupa você vai pra entrevista de emprego que você foi chamado? Parafraseando o samba de Noel Rosa, é preciso que você tenha cuidado na hora de se vestir para os processos seletivos dentro de uma empresa. Cautela é a palavra chave. A vestimenta deve ser escolhida com cuidado, visto que muitas empresas ainda prezam por roupas mais tradicionais e clássicas dentro do ambiente corporativo. Não se esqueça que é importante se adequar ao perfil da empresa na qual você almeja uma vaga.
 
De acordo com o Analista de Carreiras do Núcleo de Empregabilidade e Carreiras do Grupo Ser Educacional, Everton Machado dos Santos, é essencial se adequar e buscar o ingresso no mercado de trabalho em um local que tenha a ver com sua área. “Ir para um ambiente diferente da sua área pode ser uma interferência na personalidade enquanto profissional”, comenta. Para ajudar você a ter uma aparência adequada na seleção de emprego, trouxemos algumas dicas dadas por Santos. Confira a seguir:
 
1 - Saiba o perfil da empresa em que você quer trabalhar
A dica mais importante de todas, com certeza, é que o candidato à vaga seja informado. É fundamental, portanto, que você conheça bem o perfil da empresa que oferece a oportunidade. Isso porque algumas companhias permitem que, em determinados setores, os funcionários usem roupas menos formais, devido às funções exercidas. Antes de montar o look da entrevista, pesquise sobre o perfil da empresa.
 
2 - Cuide da aparência
Mesmo sendo uma regra para todas as ocasiões, na entrevista de emprego isso conta bastante. Além de se preocupar com as roupas, também dê atenção à aparência. Arrume os cabelos, faça a barba (preocupe-se em deixá-la simétrica), corte e limpe as unhas, confira o nariz.
 
3 - Use roupas neutras
Prefira vestimentas que sejam neutras dentro do ambiente de trabalho. A depender do local, você poderá usar uma camisa social, calça social ou até mesmo blazer. Evite cores muito vibrantes e que destoam da decoração da empresa em que você vai ser entrevistado. Caso não saiba exatamente como é dentro da companhia, prefira as cores neutras. Branco, preto, marrom, bege e cinza são coringas nas situações, inclusive em entrevistas de emprego.
 
4 - Cuidado com a maquiagem
Exceto em empregos em que a maquiagem exuberante é ponto a favor, tenha cuidado com o quanto de maquiagem vai usar - quais cores vai passar. A depender da função que você almeja, é importante ficar atento(a) às possibilidades de ousar um pouco mais ou ser mais tradicional. Usar pinturas muito fortes ou pesadas no rosto pode, inclusive, desviar a atenção do recrutador - e ele não conseguir prestar atenção no que você está falando.
 
5 - Deixe o cabelo nos “trinques”
Mantenha tudo alinhado. A dica é não ousar muito em penteados e não usar adereços, tiaras, flores e demais objetos que podem ser colocados nos cabelos. É ideal deixá-lo mais ao natural possível.
 
6 - A depender do perfil da empresa, procure ocultar suas tatuagens
Atualmente, as corporações já estão mais conscientes sobre manter funcionários que possuam tatuagens pelo corpo. Entretanto, todo cuidado é pouco. Caso você trabalhe com vendas e com o público, por exemplo, oculte, ao máximo que puder, os desenhos que possui na pele. 
 
7 - Avalie sua postura
Cuidado com sua postura, ela pode não condizer com a forma que você se vestiu para a entrevista. Sentar de forma correta, sem se “despojar” demais na cadeira, falar em um tom de voz razoável e não gesticular muito são algumas dicas para manter o equilíbrio entre a aparência visual e comportamental.
 
O que achou das dicas? Deixe sua opinião nos comentários!

Comentários

Notícias


Confira 10 dicas que podem te ajudar a passar no vestibular

O processo de vestibular pode ser bem mais simples se você estiver bem preparado
Por: Henrique Nascimento 14/06/2017 - 07:57 - Atualizado em: 15/06/2017 - 10:21
10 dicas para passar no vestibular / Freepik
Confira o que você pode fazer durante a preparação para o vestibular

Antes do vestibular é comum que ansiedade faça tudo parecer muito complicado. No entanto, esse é um processo pelo qual você pode passar sem maiores dificuldades. Para manter a calma no dia da prova é importante estar bem preparado. Por isso, separamos algumas dicas que podem te auxiliar nesse processo de estudos pré-vestibular e te fazer alcançar o resultado desejado.


Leia também: Como estudar para concusos públicos

Dicas:
1. Plano de estudos

Organização é a palavra inicial. Tudo começa com um bom planejamento do que será estudado ao longo do período anterior ao vestibular. Elaborar um cronograma ou plano de estudos é de extrema importância para gerenciar seu tempo de estudos.

Você pode fazer isso de duas formas: elaborando um cronograma inicial prolongado que vá até datas próximas ao vestibular ou construindo um cronograma mensal ou semanal de acordo com as suas necessidades. De qualquer forma não é aconselhável deixar de lado um bom planejamento.

2. Experimente diferentes técnicas e horários de estudo
No início do seus estudos experimente horários e dias diferentes para cada matéria ou conteúdo. Dessa forma você pode observar os momentos em que foi mais produtivo e construir seu cronograma a partir disso.

Experimente também métodos de estudos diferentes e tente compreender de que forma assimila melhor a informação Por exemplo, teste estudar por vídeo-aulas em um dia e por leituras e resumos em outro, dessa forma você encontrará um método que melhor funcione para você, podendo associar também mais de um método ao estudo ou diferentes métodos para diferentes tipos de conteúdo.

3. Estude edições passadas do processo de vestibular
Várias provas de vestibulares passados estão disponíveis na internet em arquivo digital. É um bom exercício praticar seus conhecimentos com questões de provas anteriores, assim você conhece o formato das questões e os conteúdos mais recorrentes no processo de vestibular que irá fazer.

4. Evite distrações
Manter o foco é importante. O momento de estudo deve ser utilizado somente para o estudo. Deixe coisas que possam te distrair longe do alcance da sua visão. Não passe o horário de estudo nas redes sociais, caso precise usar o celular ou o computador para estudar, utilize aplicativos e programas que bloqueiam o acesso as rede sociais no período em que precisa manter a concentração.

5. Crie um ambiente de estudo
Estudar em casa pode ser confortável, mas também pode oferecer muitas distrações. Nesse caso o ideal é que seja estabelecido um lugar fixo de estudos. Separe um ambiente calmo e aconchegante onde possa se sentir motivado a estudar. Coloque seu material de estudo próximo a esse ambiente, assim você evita ter que se locomover toda vez que precisar de algo.

6. Organize seu material de estudo
Minutos antes de seu horário de estudo diário, vá até seu espaço de estudo, limpe-o, retire o que usou no dia anterior, jogue fora o que precisa ir para o lixo e coloque todo material que vai precisar para começar a estudar naquele dia. Assim somente o necessário vai estar ali, favorecendo o seu momento de aprendizado.

7. Cuide da qualidade vida
De nada adianta passar horas estudando e não cuidar da saúde. Para que sua mente funcione bem, todo o seu corpo deve estar bem também. Mantenha as oito horas de sono diárias, uma alimentação regrada com refeições a cada três horas e procure fazer exercícios físicos. Não fique estudando por horas sem se alimentar ou dormir. Valorize momentos específicos de estudo produtivo ao invés de momentos extensos de estudo na madrugada.

8. Permita momentos de lazer

Foco e disciplina são necessários para manter uma rotina de estudos, contudo isso não significa o fim dos momentos de lazer. Ter tempo para cuidar de si, estar com a família e amigos é extremamente necessário. Separe momentos para se divertir e quando puder associe a diversão aos estudos também. Por que não assistir um filme sobre o assunto de história que está estudando?

9. Aproveite todos os recursos que possui
Faça tudo o que existe ao seu redor cooperar para uma rotina de estudos eficaz que levará à sua aprovação no vestibular. Siga em suas redes sociais páginas que trazem dicas sobre o vestibular, utilize aplicativos que te ajudem a estudar para o Enem. Frequente a biblioteca pública de sua cidade para ler livros cobrados na prova. Esses são só alguns exemplos do que você pode fazer para aproveitar o que tem ao seu redor para conseguir a aprovação.

10. Mantenha a calma
Durante o processo de preparação para o vestibular pode ser que as coisas saiam do rumo, nesse momento mantenha a calma e tente pensar numa solução para colocar todas as coisas na rota correta. Não se desespere tudo vai dar certo. Saiba o que fazer e o que não fazer no dia da prova.

Tem mais alguma dica? Vai utilizar alguma das dicas acima? Conta aqui nos comentários!

Comentários

Notícias


10 mulheres que ‘mandam’ no terreno da tecnologia

Elas fizeram história no mundo da computação e são exemplo para quem é apaixonado pela área. Confira
Por: Paula Brasileiro 07/06/2017 - 15:00 - Atualizado em: 07/06/2017 - 16:00
Estas mulheres fizeram história no mundo da tecnologia
Estas mulheres fizeram história no mundo da tecnologia

Desde que o mundo é mundo a área da tecnologia vem se desenvolvendo em ritmo desenfreado e com a ajuda de personagens femininas importantes. A atuação de algumas dessas mulheres já ajudou a mudar a história com projetos como o desenvolvimento de novas linguagens para computadores e a ida do homem à lua. Conheça algumas delas.

Ada Lovelace

Em meados do século XIX,  Ada Lovelace já descrevia as operações lógicas de uma máquina muito tempo antes de existirem computadores como conhecemos hoje. Exatamente por isso ela é considerada a primeira programadora da história. Ada era apaixonada por matemática e engenharia mecânica e, com apenas 12 anos, escreveu um livro chamado Flyology no qual explicava seu plano para a construção de um aparelho de voo. Em uma época em que as mulheres eram impedidas de estudar nas universidades, ela contribui para projetos, como a Máquina Analítica, de Charles Babbage, e assinou vários artigos sobre processamento de informações.

Grace Hopper

Grace foi cientista da computação da Marinha dos Estados Unidos na década de 1940. Ela inventou o primeiro compilador para uma linguagem de programação e popularizou a ideia de linguagem de programação que levou ao desenvolvimento do COBOL, umas das primeiras linguagens de programação a se aproximar da linguagem humana.

Dorothy Vaughan

Também na década de 1940, Dorothy Vaughan teve de superar dois preconceitos, além de ser mulher era negra numa época em que a discriminação racial era severa nos Estados Unidos. Mas, nada a impediu de ser uma das poucas mulheres que trabalharam na primeira missão espacial norte-americana, que colocou o astronauta John Glenn no espaço. Dorothy era formada em matemática, especializou-se em computação e chefiou um grupo de mulheres negras formadas em matemática na NACA, que depois viria a ser a NASA.  

Hedy Lamar

A multifacetada Hedy Lamar fez história no início do século XX. Ela era atriz e também inventora. Na Segunda Guerra Mundial ela ajudou a criar um sistema de comunicação para as Forças Armadas dos Estados Unidos que serviu como base para a telefonia celular de hoje em dia.

Karen Spärk

Karen foi a criadora do conceito de Frequência Inversa do Documento (IDF em inglês). O IDF é usado na maioria dos mecanismos de busca atuais e foi introduzido em 1972.

Margareth Hamilton

Cientista da Computação e engenheira de sistemas, Margareth foi diretora da Divisão de Software no Laboratório de Instrumentação do MIT, que desenvolveu o programa de vôo usado no projeto Apollo 11, a primeira missão tripulada norte-americana à Lua. O software desenvolvido por ela impediu que o pouso na Lua fosse abortado.

Radia Perlman

Ela é conhecida como "mãe da internet" por ter desenvolvido o Spanning Tree Protocol, que é usado para a operação de bridges na rede. A americana é cientista da computação, projetista de software e engenheira de redes e já fez contribuições para diversas áreas do segmento sendo a detentora de mais de 100 patentes.

Carol Shaw

Carol trabalhou na Atari, Tandem Computers e Activision. Ela é conhecida como a primeira mulher designer de games. Ela é a criadora do jogo River Raid, da Activision. Outros games desenvolvidos por ela foram Happy Trails, Video Checkers, 3-D e Harbor Escape.

Cláudia Maria Bauzer Medeiros

Doutora em Ciência da Computação, Cláudia foi presidente da Sociedade Brasileira de Computação entre os anos de 2004 e 2007. Tem diversos reconhecimentos internacionais por suas pesquisas e pelo incentivo a participação das mulheres na área de TI.

Juliana Freitag Borin

Juliana é PhD em Ciência da Computação, escreve para a revista SBC Horizontes e também é professora. Seus estudos são voltados para a comunicação sem fio e internet. Ela coordena o projeto Android Smart Girls, iniciativa que visa estimular a formação de mulheres para as carreiras de exatas, engenharias e computação.

E você, conhece alguma mulher importante da tecnologia? Conta pra gente. 

Comentários

Notícias


5 dicas infalíveis do que fazer dias antes da prova do vestibular

Está ansioso com o vestibular que está chegando? Saiba aqui no que fazer nos últimos dias que antecedem a prova!
Por: Camilla de Assis 07/06/2017 - 12:00 - Atualizado em: 07/06/2017 - 14:06
Prova do vestibular
Prova do vestibular
Os meio e fim do ano são sinônimos de férias para algumas pessoas, principalmente os estudantes, mas também pode significar tempo de realizar as provas de vestibular. É nesse período em que as instituições qualificadas de ensino superior realizam as provas de ingresso em suas unidades, avaliando o conhecimento dos estudantes e proporcionando a tão sonhada chance de cursar uma graduação.
 
 
Por isso, o momento de realizar o vestibular pode ser de bastante aflição por parte dos candidatos. Para tirar suas dúvidas sobre o que fazer dias antes da prova, trouxemos algumas dicas infalíveis. Confira-as abaixo:
 
1 - Separe seus documentos
Às vésperas de realização da prova do vestibular, é importante que você já tenha seus documentos separados e organizados. Documento oficial com foto e cartão de inscrição são importantes para conferência dos dados e para afirmar que você é mesmo o candidato que almeja uma vaga dentro da instituição.
 
2 - Durma bem
Oito horas de sono são indicadas para um bom descanso diário. Segundo o professor Alexandre Gonçalves, o sono e o repouso são necessidades fisiológicas que correspondem a 70% da nossa energia. “Uma noite mal dormida representa uma perda destes 70%, ou seja, você já inicia a prova em desvantagem aos demais que tiveram uma noite de sono recomendada. Isso gera dificuldade em concentrar-se, dificuldade resolutiva das questões, irritabilidade e o próprio cansaço mental”, explica o docente.
 
3 - Alimente-se bem
Antes da realização da prova do vestibular, é importante que o vestibulando se alimente bem. Comidas ricas em vitaminas e fibras são essenciais para o bom funcionamento do corpo e, consequentemente, um auxílio na realização do exame. É essencial que o estudante preze por comidas leves. “Não vamos colocar no cardápio uma feijoada ou algo parecido, mas frutas da época, saladas, peixes, frangos sem hormônios e sucos. Evite alimentos que possam excitar, como café, mates e refrigerantes a base de cola”, orienta Alexandre Gonçalves.
 
4 - Pratique exercícios leves
Não pense em ficar exausto de tantas atividades físicas realizadas. Procure realizar aqueles exercícios leves. Faça caminhadas diárias ou até mesmo corridas, caso seu corpo já esteja acostumado a realizá-los. 
 
5 - Faça pequenas revisões
Não pense em estudar intensamente pouco tempo antes da prova do vestibular. O momento é de realizar revisões. Além de cansar, essa prática pode ser prejudicial na questão e confiança. “Isso aumenta a ansiedade e faz o candidato não confiar no que estudou, e a diminuição da auto-estima é muito prejudicial neste momento.”
 
6 - Estime o tempo de realização das questões
Faça uma estimativa do tempo que você vai ter para realizar as questões da sua prova. O vestibular da UNIVERITAS será realizado no próximo domingo (11), às 8h, e terá duração aproximada de quatro horas. Ao total, serão 50 questões, o que dá quase cinco minutos por questão.
 

Comentários

Notícias


Você sabe a diferença entre pós-graduação stricto sensu e lato sensu?

Ambas são opções de pós-graduação e oferecem um grande leque de oportunidades para quem as faz. Conheça-as aqui e saiba qual a mais indicada para você!
Por: Camilla de Assis 05/06/2017 - 12:00 - Atualizado em: 05/06/2017 - 13:51
Foto: Freepik
Saiba a diferença entre esses dois tipos de pós-graduações
Fazer uma pós-graduação é o desejo de muitas pessoas que saem formadas de uma instituição de ensino superior. O passo seguinte à graduação é um dos mais importantes - e também é um que está sendo cada vez mais cobrado pelo mercado de trabalho. Ter uma pós no currículo é fator de relevância no momento de conquistar uma vaga de emprego, visto que o candidato se trata de um especialista qualificado e certificado em sua determinada área.
 
Conheça as pós-graduações stricto sensu e lato sensu da UNG!
 
Mas, além da já reconhecida importância de não para os estudos após a conclusão da graduação, é preciso saber qual tipo de pós deve ser realizada. Afinal, fazer uma na modalidade stricto sensu ou lato sensu? Além do mais: o que é stricto sensu e lato sensu?
 
Segundo definições do Ministério da Educação (MEC), uma pós-graduação stricto sensu é aquela que contempla cursos de mestrado e doutorado entre suas ofertas. A palavra stricto sensu vem do latim e significa “em sentido específico”. Já com etimologia equivalente a “sentido amplo”, lato sensu é o tipo de pós-graduação que abrange cursos de especialização e Master Business Administration (MBA).
 
Mestrado
A pós-graduação em mestrado é um curso de dois anos a dois anos e meio em que o estudante deve ter e desenvolver aptidão para pesquisas científicas. Essa pós é ideal para quem se apetece pelo meio acadêmico e tenha vontade de seguir carreira na área. Entretanto, ter um mestrado no currículo também conta muito em uma seleção de emprego.
 
Os mestrados devem ser recomendados pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) - órgão que avalia e testa a qualidade desses cursos - e só podem funcionar sob essa recomendação e autorização do MEC. Quando acabar a graduação, o aluno ganha o título de mestre e já pode dar aulas em instituições de ensino superior.
 
Doutorado
Ao contrário do que muitos passam, uma pessoa que tenha apenas o título de graduado pode pleitear uma vaga no mestrado. Isso é considerado caso a proposta de pesquisa apresentada pelo aluno seja de grande relevância. Entretanto, costuma-se ter a tradição de selecionar estudantes que já tenham um mestrado.
 
Com duração de quatro a cinco anos, o doutorado é uma pós-graduação stricto sensu em que o doutorando vai ter ganhos profundos de conhecimento teórico e reais avanços nas suas pesquisas. Ao término do doutorado, a pessoa ganha o título de doutor. Muitas vezes o doutor ingressa como professor em instituições de ensino superior.
 
Especialização
Com um caráter mais técnico e voltado para o mercado de trabalho, a especialização é um curso de pós-graduação que segue os parâmetros lato sensu. Com duração média de um ano e meio a dois anos, as especializações exigem apenas que o aluno tenha um diploma de curso superior. Ao final, o estudante recebe o título de especialista e já pode, inclusive, lecionar em algumas instituições de ensino superior.
 
MBA
Segundo definição do MEC, cursos de MBA “nada mais são do que cursos de especialização em nível de pós-graduação na área de administração”. Por isso, esse tipo de pós -graduação é indicada para pessoas que já atuam no mercado de trabalho e buscam ascensão. Muitas vezes, o MBA é procurado por pessoas que já exerçam ou tenham exercido cargos de chefias.
 
Qual fazer?
Segundo o coordenador geral de pós-graduação da UNG, Antônio Inácio, o mais indicado para alunos recém saídos da graduação é uma pós na modalidade de especialização ou MBA. “Isso é recomendado, salvo quando o estudante já é um aluno pesquisador de artigos científicos”, pondera o docente.
 
Além disso, mesmo que uma pessoa opte pela pós-graduação stricto sensu, ela pode se direcionar para o mercado de trabalho com a titulação de mestre ou doutor. “Um mestrado ou doutorado desenvolve no aluno e no profissional a capacidade de desenvolvimento contínuo, de visão de futuro, de planejamento, de gerar conhecimentos para treinamentos ou para o conceito de universidade corporativa. Muitos CEOs na atualidade buscam profissionais com este perfil para compor suas equipes”, observa Antônio Inácio.
 
E então, já sabe qual pós-graduação fazer? Que tal conhecer as pós-graduações stricto sensu e lato sensu da UNG? Confira-as aqui!

Comentários

Notícias


Cursinho ou estudar em casa? Como se preparar para o vestibular

Escolher entre um curso pré-vestibular ou estudo em casa é uma das dúvidas mais frequentes dos vestibulandos. Mas, calma, a gente te ajuda a resolver.
Por: Henrique Nascimento 01/06/2017 - 08:36 - Atualizado em: 06/06/2017 - 09:28
Fazer pré-vestibular ou estudar em casa? / Freepik
Saiba qual a melhor modalidade de estudo para você

Uma das dúvidas frequentes assim que se decide entrar na universidade é saber se é melhor fazer um curso pré-vestibular ou estudar sozinho em casa. Neste caso não existe resposta padrão, você precisa conhecer e considerar alguns aspectos sobre os dois tipos de estudo para encontrar o que melhor se encaixa. Acompanhe o texto para fazer a escolha correta.

Quem deve estudar em casa?

Estudar em casa demanda disciplina, principalmente se você optar por não fazer nenhum curso pré-vestibular. O autoconhecimento nesse momento é fundamental, algumas pessoas conseguem estipular metas e rotinas para si e cumprí-las sozinhas com facilidade, outras precisam de um acompanhamento e estímulo constante. No primeiro caso estudar somente em casa pode funcionar extremamente bem, já no segundo é interessante ter um assitência pedagógica mais presente, como é dada em cursos preparatórios.
Alguns dos benefícios de estudar em casa são:

1. Você faz seu horário
Administrar seu tempo é de extrema importância, principalmente se antes do período de vestibular você estiver trabalhando ou concluindo a escola. Estudar em casa nesses casos pode ser uma vantagem porque permitirá que você adeque seus horários e seus métodos de estudo para o período do dia que funcione melhor. Confira dicas infalíveis para gerenciar seu tempo de estudos. | Link: http://www.univeritas.com/noticias/confira-dicas-infaliveis-para-voce-gerenciar-seu-tempo-de-estudos

2. O conforto de um ambiente conhecido
Como a Dorothy do filme “O Mágico de Oz”, Judy Garland, dizia, “não há lugar como o nosso lar”. É em casa que costumamos nos sentir mais confortáveis, o aconchego de um espaço conhecido pode te dar a motivação necessária na hora de estudar. Só não deixe esse aconchego aumentar tanto ao ponto de ir estudar na cama e acabar dormindo. O ideal é que seja criado um ambiente específico para o estudo em casa.

3. Economia financeira
Fazer um pré-vestibular presencial envolve o pagamento de taxa de matrícula e mensalidades, além dos custos com deslocamentos. Se a condição financeira está apertada nada impede você de estudar. Tente adquirir material de pré-vestibular com seus amigos que já passaram pelo processo e utilize materiais que estão na internet gratuitamente, como vamos falar no próximo tópico.

4. A possibilidade de fazer pré-vestibular EAD ou estudar com material da internet
A Internet é um espaço com muitos conteúdos relacionados à educação. Por exemplo, você pode encontrar vídeo-aulas disponíveis no YouTube e provas anteriores de vestibular para baixar e praticar. Também estão disponíveis cursos e isoladas pré-vestibulares EAD. Alguns desses cursos possuem aulas ao vivo, vídeos gravados para assistir quando quiser, monitorias online e correção das redações enviadas.

Por que fazer pré-vestibular

Fazer um curso pré-vestibular ou pré-enem, como tem sido comumente chamado, é uma alternativa interessante, principalmente se já faz um tempo que você terminou a escola. Algumas das vantagens que se tem ao fazer um curso pré-vestibular são:

1. Acompanhamento pedagógico
Em um momento de preparação toda ajuda é bem-vinda, ainda mais se for de um especialista da área. Professores de pré-vestibular são gabaritados para o ensino da determinada matéria, além do fato de recorrentemente analisarem provas de vestibular, ou seja, sabem do que estão falando e direcionam seu cronograma para atender as expectativas do vestibulando.
Alguns cursos também apresentam a figura do monitor. O monitor geralmente é um graduando ou graduado na matéria estudada que dá um help, aos alunos tirando dúvidas quando  necessário especialmente na ausência dos professores não estão disponíveis.

2. Ênfase no que realmente importa
Como dito no tópico anterior, os professores de cursinho analisam as provas de vestibular e é através dessa análise que eles constroem o seu plano de aulas ou cronograma. Um pré-vestibular tem por característica entregar conteúdos específicos e direcionados para os assuntos recorrentes nas provas e tipos de questões que também são comuns.
É importante lembrar que a depender da instituição para que deseje ingressar os processos de vestibular são diferentes. Por conta disso, existem cursos preparatórios direcionados para instituições de ensino específicas ou tipos de prova específica.

3. Simulados
Estar bem preparado exige treino, você precisa conhecer o inimigo antes de atacá-lo. Os simulados são oferecidos com o objetivo de conhecer melhor o processo a que será submetido. Como o próprio nome já diz, as provas simuladas são feitas com questões anteriores de vestibular ou questões semelhantes elaboradas pelos professores do curso.
Os simulados buscam te proporcionar a mesma atmosfera que será encontrada no dia em que você colocará seus conhecimentos em prática. É uma ótima oportunidade de aprender sobre como organizar o tempo de prova e que assuntos ou matérias ainda precisam ser estudados.

4. Novas pessoas, mesmos objetivos
O processo de estudar para vestibular é extenso. Por conta disso, é natural que haja o cansaço e a insegurança.  Nos curso pré-vestibular os alunos, independente do curso que pretendem ingressar, têm um único objetivo, a aprovação. Estar com pessoas que desejam o mesmo que você pode ser um potencial motivador nos momentos em que as coisas parecem não dar certo.
No entanto, ir ao pré-vestibular não exclui ter um tempo de estudo em casa, para um maior rendimento é preciso que as duas coisas estejam associadas.

Então, estudar em casa ou fazer pré-vestibular?

Para uma escolha correta de que tipo de preparação escolher é importante analisar sua rotina, suas necessidades, sua personalidade. A partir disso, você verá que forma de estudo têm mais aspectos que combinam com você e poderá se preparar melhor.

Vai fazer cursinho ou pré-vestibular? Ainda tem alguma dúvida? Deixe um comentário.

Comentários

Páginas