Clicky

Selecione a cidade
4020-9734

Notícias


Para os estudantes de economia: bem-vindos à econometria

A técnica analisa dados para prever cenários econômicos e é estudada a partir do sétimo período da graduação
Por: Paula Brasileiro 04/08/2017 - 09:57 - Atualizado em: 04/08/2017 - 09:57
Você já estudou econometria? Conheça um pouco mais
Você já estudou econometria? Conheça um pouco mais

O economista estuda como a sociedade produz, distribui e consome bens materiais e serviços, com o objetivo de fazer previsões e planejamentos econômicos. A atuação desse profissional visa garantir o bom desenvolvimento financeiro do segmento ao qual ele representa. Para isso, é preciso entender de diversas matérias, por assim dizer, e a econometria é uma delas.

De maneira geral, a econometria é um método estatístico de análise de dados e que, combinando estatística e matemática, visa a resolução de problemas econômicos. É o ramo  que trata da mensuração de relações econômicas, ou seja, relações entre as variáveis de natureza econômica.  

Como funciona?

Combinando matemática com dados estatísticos, a econometria analisa informações e trabalha com modelos para explorar cenários e situações teóricas. A análise inicia-se ao relacionar duas ou mais variáveis estipuladas por uma determinada teoria. Em seguida, é preciso passar por etapas como especificação (construção do modelo econométrico), verificação (aceitação ou rejeição das hipóteses)  e previsão (apresentação dos dados).

O objetivo é avaliar essas teorias e políticas econômicas tendo por finalidade a obtenção de estimativas confiáveis. A prática também prevê valores futuros de variáveis de natureza econômica. É um verdadeiro teste que mede o quanto qualquer evento pode mudar a economia.

Quem usa?

Matemáticos, economistas, bancos e governos se valem dessa ferramenta para explorar possíveis cenários em que mudanças nos salários, impostos e outras taxas influenciam no andamento da economia.

Na graduação

O aluno do curso de Ciências Econômicas vai estudar Econometria no sétimo período. Antes disso, ele terá passado por cadeiras como estatística, matemática financeira, economia e gestão, fundamentos de macroeconomia e estrutura de mercados, entre outros. Todo o conteúdo programático é voltado para que o egresso desenvolva as habilidades exigidas pelo mercado de trabalho com competência e segurança.

Interessante, não é mesmo? Conta pra gente qual é a sua cadeira favorita no curso de Ciências Econômicas.

 

Comentários

Notícias


Gestores ambientais e o desafio de controlar a poluição

Eles são os profissionais responsáveis por aplicar as ações que minimizam os efeitos dos agentes poluentes
Por: Paula Brasileiro 02/08/2017 - 17:36 - Atualizado em: 23/08/2017 - 14:06
No mundo moderno, a quantidade de resíduos poluentes liberados nos espaços é cada vez maior
No mundo moderno, a quantidade de resíduos poluentes liberados nos espaços é cada vez maior

Toda atividade ou agente que degrada o meio ambiente, afetando as características físicas ou químicas de um ecossistema, é chamado de poluição. No mundo moderno, em que o consumo cresce de maneira desenfreada, com uma grande profusão de indústrias e produção em larga escala, a quantidade de resíduos poluentes liberados nos espaços é cada vez maior. Só para se ter ideia, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 92% de toda a população do planeta vive em lugares onde a qualidade do ar está fora dos padrões desejados.

As consequências de um ambiente poluído podem ser vistas e sentidas pelo ser humano em larga escala. A poluição gera problemas como alterações nas taxas de natalidade e mortalidade das populações, morte de rios e lagos, efeito estufa, destruição da camada de ozônio, chuvas ácidas, mutações genéticas, propagação de doenças infecciosas e neuropsíquicas e, até mesmo, surdez.  

Gestor ambiental

Diante tamanha problemática é imprescindível a atuação do gestor ambiental. É ele quem pode identificar os agentes poluentes, quantificá-los e aplicar as ações necessárias para que haja um controle da poluição. Seu trabalho é encontrar soluções que sejam capazes de minimizar os efeitos nocivos desses agentes.

O grande desafio desse profissional é que essas soluções devem beneficiar o meio ambiente sem deixar de atender aos interesses empresariais. Elas podem ser tanto uma tecnologia de remediação quanto de controle no final do processo e é necessária uma análise prévia para que uma delas seja escolhida.

Controle de poluição

Uma tecnologia de remediação tem o papel de minimizar um problema ambiental já ocorrido. Através de técnicas específicas é possível realizar a descontaminação do solo ou a recuperação de uma área contaminada por algum agente poluente.

Já a outra maneira de se controlar a poluição se dá pelo uso de indicadores. Eles detectam o acúmulo de poluentes para que sejam aplicadas técnicas que possam suavizar os efeitos da poluição.

Quanto custa?

A depender do tipo e quantidade dos poluentes, essas tecnologias usadas no controle da poluição podem ser bem caras e complexas. Esse controle, geralmente, eleva os custos de produção sem necessariamente agregar valor ao produto. Porém, as empresas que investem no cuidado com o meio ambiente acabam por se destacar no mercado, pela postura de responsabilidade social, além de contribuírem com a qualidade de vida de seus consumidores.

Gostou? Que tal conhecer um pouco mais osbre o curso de Gestão Ambiental? Clique aqui e confira

Comentários

Notícias


Você sabe o que é atenção multifocal e como desenvolvê-la?

A atenção multifocal pode ser uma condição muito benéfica e um grande diferencial profissional. Conheça mais sobre ela aqui.
Por: Camilla de Assis 02/08/2017 - 12:00 - Atualizado em: 02/08/2017 - 12:00
Atenção multifocal
Atenção multifocal
Como o próprio nome diz, atenção multifocal é a capacidade que uma pessoa tem de conseguir cumprir múltiplas tarefas de maneira simultânea e eficientemente. Uma habilidade que parece pitoresca, na verdade, pode ter funções muito importantes e ser um diferencial para alguém que busca se destacar no mercado de trabalho. Aproveite e confira aqui uma matéria sobre como se destacar nas reuniões corporativas.
 

 
Dar conta dos e-mails, dos papéis, dos textos, dos despachos, das ligações e de todas as outras tarefas que um funcionário deve fazer diariamente não é um afazer fácil. É preciso ter habilidade, tempo e atenção com todas as tarefas. Mas, com a correria do dia a dia, o ideal seria ser capaz de desempenhar diversas funções ao mesmo tempo. Por isso, muitas pessoas passam a desenvolver a habilidade de atenção multifocal. 
 
O que caracteriza alguém que tem atenção multifocal?
 
Ter o desenvolvimento da atenção multifocal só diferencia uma pessoa em seu cérebro, segundo a psicóloga e doutora em Neuropsiquiatria e Ciências do Comportamento Maria da Soledade Rolim. “Em linhas gerais, esta pessoas possui maiores níveis de ativação funcional das área pré-frontal do cérebro (área dorsolateral do córtex pré-frontal) e possui mais facilidade da realização simultânea de atividades que demandem foco e cognição.”, explica.
 
Ou seja, ter um desenvolvimento da multifocalidade não significa que uma pessoa tem um cérebro mais desenvolvido ou qualquer tipo de vantagem específica. Quando o multifoco é exercitado e alcançado em alguém, “o cérebro apresentou uma neuroplasticidade específica e conseguiu se adaptar às exigências de realizar várias atividades ao mesmo tempo.”
 
Como desenvolver essa habilidade?
 
Atenção multifocal não é hereditário, portanto é uma habilidade adquirida. Entretanto, não se deve aplicar muito esforço para conseguir alcançá-la. O senso comum acredita que quanto mais intenso seja o “treinamento” cerebral, mais desenvolvido o órgão vai se tornar. “Os estudos científicos mostram o oposto, que o excesso de atividades simultâneas e fora de um contexto acaba gastando muita energia cerebral que poderia ser empregada de uma forma mais eficiente e o resultado é justamente o inverso, uma diminuição da produtividade.”, comenta Maria da Soledade Rolim.
 
Então, para potencializar o uso cerebral e conseguir desenvolver as habilidades multifocais, é mais eficiente praticar estímulos regulares, constantes e experiências novas que tirem as pessoas da zona de conforto. A exemplo disso, há aprender um novo idioma, um ritmo de dança, aprender um itinerário diferente do GPS, ou seja, provocar desafios ao cérebro. Aproveite e saiba também como cuidar da sua memória em cinco passos.
 
Além disso, outras atividades simples também pode ajudar a pessoa a desenvolver as condições cerebrais. “Ler uma revista enquanto escuta uma música ou cozinhar enquanto conversa com alguém. Outra atividade benéfica para melhorar os níveis de concentração e atenção de forma geral é a meditação, que não necessariamente precisa estar vinculada à alguma religião; se a pessoa se concentrar em prestar atenção ao próprio ritmo respiratório (inspiração/expiração) ela já está fazendo uso de uma prática notadamente salutar para o cérebro”, indica a especialista.
 
E você, vai praticar quais atividades para desenvolver a atenção multifocal? Conte pra gente nos comentários!

Comentários

Notícias


5 coisas que todo estudante de Direito precisa saber

No Dia do Advogado, desvende mitos e conheça curiosidades sobre o curso e a profissão
Por: Henrique Nascimento 02/08/2017 - 08:52 - Atualizado em: 11/08/2017 - 15:02
5 coisas que todo estudante de direito precisa saber/Freepik
Conheça mais sobre a advocacia e o curso de Direito!

Em novembro de 2016 o Brasil, país que tem a maior quantidade de faculdades de Direito do mundo, atingiu a marca de 1 milhão de advogados segundo a Ordem dos Advogados do Brasil. Isso significa que entre aproximadamente 207 milhões de habitantes do país, 0,5% são advogados. O curso de Direito está entre os mais disputados para ingresso nas universidades brasileiras. Os estudantes após a graduação podem exercer funções jurídicas, dar aulas  ou trabalhar com a advocacia.

Para comemorar o dia dos profissionais que exercem essa função existe um dia exclusivo para eles, o Dia do Advogado. Conheça algumas curiosidades sobre esse dia sobre o curso.

Inscreva-se no vestibular!

Você não vai interpelar testemunhas igual aos filmes norte-americanos
As séries e filmes norte-americanos mostram advogados que estão constantemente no tribunal argumentando e interpelando vítimas, testemunhas e réus boa parte do tempo. No Brasil as coisas são diferentes, grande parte do que é resolvido na justiça brasileira é feito através de papéis e mais papéis. Prepara-se para escrever muito!

Ser estudante de Direito não é como em How to get away with murder
O cotidiano de um estudante de Direito pode não ser cheio de adrenalina, casos misteriosos para serem resolvidos ou um assassinato para ser encoberto. Na verdade, a depender da área do Direito escolhida, os casos serão mais tranquilos e com situações consideradas comuns. Aventura mesmo é carregar o Vade Mecum no ônibus durante os anos do curso.

O que o Dia do Pendura tem haver com o estudante de Direito?
Para comemorar o Dia do Advogado, logo no início dos cursos de Direito no Brasil, estabelecimentos instituíram o Dia do Pendura. No dia 11 de agosto de cada ano os estudantes poderiam frequentar restaurantes, por exemplo, e fazer pedidos e gritar “pendura”, não precisando pagar o que haviam consumido. Com o crescimento da quantidade de alunos os negócios começaram a perder dinheiro e acabaram com a alegria do estudantes. No entanto, o dia do advogado ainda é comemorado, saiba o que dar de presente ao seu colega!

O que o Dia do Pendura tem a ver com o dia do Garçom
Um dos lugares mais frequentados pelos estudantes de Direito no Dia do Pendura era o bar. Como você deve imaginar, os garçons tinham um dia agitado de atendimento. Com a quantidade de clientes que procuravam consumir bebidas de graça só crescendo e o alto volume de trabalho, o dia 11 de agosto foi escolhido como o Dia do Garçom.

Saiba o que é ser um “advogado do diabo”
A expressão “advogado do diabo” foi criada dentro da religião Católica e virou até título de filme hollywoodiano. Para canonizar uma pessoa é preciso passar por um processo chamado Causa de Canonização. No início da causa é escolhido um bispo postulado, uma espécie de advogado responsável por pesquisar tudo sobre a pessoa que se busca canonizar. Em algum momento da história algum eclesiástico se opôs à canonização e por isso foi chamado de “advogado do diabo”. A expressão saiu dos muros da igreja e é usada com frequência para quando alguém deseja se referir a pessoas que costumam ser contestadoras.

Deseja ser o próximo a comemorar o Dia do Advogado? Inscreva-se no curso de Direito da UNIVERITAS!

Comentários

Notícias


Chocolate: além de boa sobremesa, um bom ofício

O doce pode render bons resultados no mercado de trabalho. Confira
Por: Paula Brasileiro 01/08/2017 - 10:50 - Atualizado em: 14/08/2017 - 17:58
Chocolates podem render um gostoso ofício
Chocolates podem render um gostoso ofício

Vianne Rocher e sua filha de seis anos decidem recomeçar a vida numa pequena cidade rural da França. Lá, Vianne abre uma loja de chocolates a despeito da má-recepção e olhares tortos dos moradores locais. Ela cria as mais diversas receitas com o doce e acaba conquistando, pouco a pouco, aqueles que antes a receberam com incredulidade.

Essa é a sinopse do filme Chocolate, clássico do cinema com Juliette Binoche e Johnny Depp. O longa mostra como este alimento tem o poder de agregar e adoçar até os mais duros dos humanos. O curso de Gastronomia tem uma cadeira específica para que os alunos aprendam a lidar com essa delícia. Nela, os estudantes aprendem a lidar com equipamentos específicos, técnicas para trabalhar o chocolate, identificar matéria-prima de qualidade e executar decoração em produtos com chocolate.

Assim como para a personagem do filme, trabalhar com chocolates pode ser uma ótima pedida. A coordenadora do curso de Gastronomia da UNIVERITAS, Jacqueline Almeida comenta sobre este mercado: "O mercado de chocolates está cada vez mais competitivo, o que representa uma ótima oportunidade para quem quer investir nesse ramo de negócio. Quem trabalha com chocolate artesanal costuma atender mercados específicos, realidade diferente do mercado de industrializados, que são produzidos em grande escala. Muitos consumidores preferem comprar chocolates diferenciados e personalizados para presentear em épocas comemorativas e o negócio de chocolates, trufas e bombons representa uma ótima oportunidade para quem quer investir."



Juliette Binoche é a estrela do filme Chocolate

 

Profissionais do chocolate

Existem duas categorias, no que diz respeito a quem trabalha com chocolate, que são bem distintas mas que podem andar juntas. O chocolate maker e o chocolatier. O primeiro, é o responsável por criar os chocolates a partir da matéria-prima, o cacau. Ele quem escolhe o cacau e extrai dele seu melhor sabor e textura a partir de parâmetros de fermentação, secagem e torra para criar o chocolate.

Já o chocolatier vai pegar este chocolate pronto e transformá-lo em receitas criativas e originais. Ele vai criar bombons, trufas, tabletes diferenciados e outras sobremesas, contando com sua criatividade e conhecimentos de alta-confeitaria.

Não parece delicioso? Conta pra gente qual sua sobremesa preferida.

 

Comentários

Notícias


FIlmes para tratar os mais diversos preconceitos

O cinema aborda temas sérios para fazer arte. Confira essas dicas
Por: Paula Brasileiro 27/07/2017 - 12:00 - Atualizado em: 27/07/2017 - 12:00
Confira estas dicas de filmes que abordam diversos preconceitos
Confira estas dicas de filmes que abordam diversos preconceitos

O preconceito existe e ele se manifesta nas mais diversas formas dentro da sociedade. Alguns parecem mais difíceis de combater do que outros, mas todos se assemelham na crueldade e, sobretudo, urgência em serem exterminados. O cinema se vale do tema para lançar luz a feridas com as quais convivemos - muitas vezes sem nem perceber - e que precisamos tratar. Confira essas dicas de filmes que trazem o assunto.

 

 


Histórias Cruzadas

No estado americano do Mississipi, na década de 1960, a jovem Skeeter começa uma pesquisa, determinada a se tornar escritora. Ela passa a entrevistar as mulheres negras da sociedade que deixaram suas vidas para trabalhar na criação dos filhos da elite branca, da qual a própria Skeeter faz parte.

Preciosa: uma história de esperança

O longa retrata a história de Claireece Jones Precious, uma jovem violentada pelo pai, maltratada pela mãe e que precisa enfrentar diversos preconceitos por ser obesa, negra, mulher, pobre e ter um filho com Síndrome de Down.

Intocáveis

Philippe é um homem de alta classe que fica tetraplégico após sofrer um acidente. Precisando de cuidados especiais em casa, ele contrata Driss, um jovem negro de família pobre que apenas tinha a pretensão de obter um comprovante de comparecimento a uma entrevista de emprego. Os dois acabam desenvolvendo uma grande amizade após, juntos, enfrentarem muitas adversidades.

O jogo da imitação

Considerado o pai da ciência da computação e pioneiro nos avanços da inteligência artificial, o britânico Alan Turig teve de driblar o preconceito contra sua homossexualidade. O filme conta a história do cientista que sofreu até uma castração química durante a época da segunda guerra mundial.

Filadélfia

Estrelado por Tom Hanks, o filme mostra o preconceito sofrido por um homossexual que contraiu o HIV. Na trama, o advogado Andrew vai aos tribunais para processar o escritório onde trabalhava por tê-lo demitido ao descobrir ser portador do vírus.  

Gostou das dicas? Que tal aumentá-la com uma indicação sua? 

Comentários

Notícias


Saiba quais cursos de aperfeiçoamento te garantem emprego

Por conta da grande dificuldade de inserção do mercado de trabalho, muitos profissionais buscam nos cursos de qualificação uma porta de entrada em um emprego. Confira os melhores para isso
Por: Camilla de Assis 27/07/2017 - 11:52 - Atualizado em: 21/08/2017 - 08:11
Aperfeiçoamento
Aperfeiçoamento
Com o desemprego em alta, as taxas de pessoas que buscam por uma oportunidade de inclusão no mercado de trabalho são grandes. Para que isso se realize, muitas optam por fazer cursos de aperfeiçoamento. Segundo estudo levantado pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) 2014, divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no início deste ano, 40,2 milhões de pessoas têm interesse em qualificação profissional.
 

 
As capacitações são maneiras de se reciclar e de se manter atualizado sobre o que é praticado no dia a dia corporativo. Segundo a consultora profissional de Recursos Humanos e professora Soraya Matos, é importante ter cursos que sejam ampliadores da visão de mundo do profissional. “Com determinados cursos, o trabalhador vai se desenvolver, se equalizar, vai ampliar seu network e ver onde precisa melhorar e onde precisa desenvolver”, explica a especialista. Confira abaixo as áreas dos cursos que devem ser seguidas:
 
Liderança
Nesta capacitação, o profissional vai aprender a lidar com gestão e ser um bom líder caso venha a comandar uma equipe. Cursos nessa área são muito importantes para o desenvolvimento de habilidades de comando.
 
Gestão de Projetos
Diferentemente da elaboração, o profissional vai saber como gerir e como conduzir projetos que sejam estratégicos para a empresa.
 
Gestão Financeira
Este curso é fundamental para o controle dos gastos, do volume de dinheiro, de movimentação financeira, entre outros.
 
Inteligência Emocional
Ter inteligência emocional é um dos principais requisitos para ter uma boa carreira, atualmente. Inteligência emocional é saber lidar com situações profissionais sabendo separar a vida de trabalho da vida pessoal. Nós já falamos sobre o assunto aqui.
 
Gerenciamento Estratégico
Estratégias são muito importantes para uma empresa conseguir desenvolver seu projetos e alcançar metas. Um aperfeiçoamento em gerenciamento estratégico é, com certeza, um diferencial para o profissional.
 
Áreas de atuação do cérebro
O ser humano está sempre em busca de descobrir mais e mais sobre como funciona a mais poderosa máquina: o cérebro. Por isso, assuntos que liguem o órgão são de extrema importância até mesmo para o desenvolvimento de habilidades de liderança, estratégia e conhecimento. Neurociência e neurofeedback estão entre os principais cursos.
 
Pelo fato da vasta gama de cursos que os profissionais podem fazer para se qualificar e/ou reciclar, é preciso saber realmente o que se quer com as capacitações. “É necessário ter um propósito e não apenas fazer um curso por fazer. É preciso que o profissional se pergunte ‘o que eu quero após isto?’, ‘o que eu pretendo com este curso?’, ‘quais passos eu devo dar após terminá-lo?’. Por isso, se deve ter responsabilidade na escolha”, esclarece Soraya. 
 
Embora muitos cursos possam ser feitos que capacitem o profissional de maneira mais geral, é importante também não esquecer das qualificações mais específicas de acordo com as áreas de atuação. Por exemplo, o trabalhador que atua na área de Jornalismo pode se capacitar em áreas de gestão, como também em jornalismo digital. “Um curso não irá anular o outro. É ainda melhor porque mostra o interesse de qualificação”, explica a professora Soraya.
 
Gostou das dicas? Qual curso de aperfeiçoamento você pretende fazer? Conte pra gente!

Comentários

Notícias


Conheça 5 séries para aprender sobre diversidade

Discussões importantes tem se tornado tema de várias séries, por isso listamos algumas para você
Por: Henrique Nascimento 25/07/2017 - 12:38 - Atualizado em: 25/07/2017 - 12:55
Conheça 5 séries para aprender sobre diversidade/Divulgação

O ativismo e a luta por direitos têm sido pauta em diversos meios de comunicação na atualidade. Nas séries a temática não é diferente, há uma procura por abordar temas que fogem ao clichê e questionam o status quo. Venha entender porque isso é importante e conhecer 5 séries que buscam, além de entreter questionar os padrões.

Leia também: Confira alguns seriados que têm a ver com a sua profissão

Inscreva-se no vestibular

Representatividade importa
As representações sociais podem ser um dos motivos para que determinados grupos se tornem invisíveis ou visíveis. No livro Representações sociais -  investigações em psicologia social, Serge Moscovici, psicólogo social francês, conceitua o termo representações sociais e mostra como a partir de uma fragmentação feita ainda no campo do imaginário coletivo a sociedade pode ser modificada ou permanecer como está.

Ele afirma que essas representações são criadas e espalhadas através do processo de comunicação. Um exemplo citado no livro é o da comunidade negra em sociedades racistas. Nesse caso, a falta de negros ocupando diferentes espaços sociais, com o protagonismo em programas de TV, por exemplo, contribui para invisibilização desse grupo e acentua que o lugar do negro é em posições subalternas. As séries, como um produto dos meios de comunicação, contribuem para a disseminação de representações que podem ser positivas ou negativas.

No entanto, existem séries que buscam aos poucos modificar representações que não contribuem para o favorecimento dos diversos grupos sociais e vão na contramão do usual. Isso tem se tornado uma prática frequente, como é possível notar nas séries a seguir. Confira!

Modern Family - Gênero
Modern Family é uma série da ABC que traz a história de três famílias que na verdade fazem parte de uma grande quadro familiar. Além de divertida, com episódios curtos, a série debate questões de gênero, trata de assuntos como a adoção de crianças por pais homossexuais e diversidade étnica.

Vale destacar que no contexto dos temas abordados em sitcoms, Modern Family tem roteiro que deixa a zona de conforto, faz rir e questiona padrões.

Modern Family

The fosters - Diversidade étnica
O enredo principal de The fosters já se diferencia ao trazer duas mulheres que são casadas e mães de três filhos adolescentes, um filho fruto de um casamento anterior de uma delas e um casal de gêmeos adotados. O início do enredo marca a chegada de uma nova adolescente órfã para abrigo temporário, Callie (Maia Mitchell).

A diversidade étnica dos personagens é algo que se destaca. O casal principal de lésbicas é formado por uma mulher negra e uma mulher branca, os gêmeos são de origem latina, e o professor na escola que os adolescentes frequentam é indiano. O que a série traz, e pode até ser considerado uma metáfora de um mundo ideal, são as diferentes etnias convivendo juntos sobre o mesmo teto, enfrentando as diferenças e enfrentando as adversidades como uma família.

The fosters

Dear white people - Racismo
Com apenas uma temporada, a série Dear White People (Querida pessoa branca) mostra os problemas causados pelo racismo sofrido por pessoas negras em uma universidade majoritariamente branca. Temas como: colorismo, ocupação de espaços por parte dos negros, solidão da mulher negra, racismo institucional, além da violência policial contra pessoas negras são abordados em curtos episódios de 45 minutos. Uma série que certamente tira qualquer pessoa - negra ou não negra -  de sua zona de conforto.

Dear white people

This is us - Racismo e obesidade
Poderia ser mais um drama familiar, se não fosse pelo fato de trazer tantas questões latentes e importantes da sociedade. This is us é constituída por dois planos. No plano que se passa nas últimas décadas do século XX temos Jack e Rebecca um casal jovem branco de Pittsburg que espera o nascimento de trigêmeos e acaba por perder um dos filhos durante o parto. Por conta disso, eles adotam uma criança negra.

No segundo, cerca de trinta e seis anos depois vemos a família com os filhos já adultos. Os trigêmeos passam por diferentes situações individualmente. Kate tenta lidar com a obesidade, Kevin está insatisfeito com o seu trabalho como ator em um sitcom onde é hipersexualizado e Randall está casado com uma mulher negra e tem duas filhas também negras.

A série nos dois recortes temporais traz reflexões importantes e apresenta como as relações familiares podem ser diferentes em períodos distintos e situações étnicas também.

This is us

The Get Down - Enfrentamentos culturais e étnicos
Os The Get Down Brothers, grupo formado pelos meninos do Bronx, periferia de Nova York, tentam fazer hip-hop e rap no fim do anos 70. Mylene, também do subúrbio, é uma jovem de origem latina que sonha em ser uma estrela da Disco Music. Entre sprays de grafitti e discos de vinil é possível acompanhar sonhos da periferia que desejam alcançar o mundo.

The Get Down é uma superprodução musical da Netflix que apresenta através de um enredo ficcional com características documentais como emergiu o hip-hop e o grafitte no subúrbios de Nova York e como funcionava o sucesso da música Disco. Na série são debatidos assuntos relacionados a condição de ser negro a arte vinda da periferia e as relações entre os grupos que vivem nas áreas menos privilegiadas da cidade.

The Get Down

Gostou? Deixe sua opinião sobre as séries aqui nos comentários!

Comentários

Notícias


Cinema abre a roda de diálogo sobre questões de gênero

Filmes que abordam o tema podem ajudar a entendê-lo melhor além de promover o debate sobre o assunto
Por: Paula Brasileiro 24/07/2017 - 12:00 - Atualizado em: 24/07/2017 - 12:05
Confira alguns filmes que abordam o tema
Confira alguns filmes que abordam o tema

Diversidade de gênero é um tema que ganhou a boca, e os teclados, de uma considerável parcela da sociedade atual. As pessoas estão se sentindo mais livres e abertas para discutir sobre o assunto e questionar as ideologias e padrões pré-estabelecidos na busca de um entendimento a respeito. Pesquisa recente, realizada pelo IBOPE em 143 municípios brasileiros, apontou que 72% da população apoia a ideia de professores discutirem, em sala de aula, o direito dos indivíduos viverem livremente sua sexualidade.

 

Mas, para entrar nessa discussão não é necessário estar na escola nem tampouco valer-se de textos acadêmicos e complexos. A roda de conversa pode ser aberta numa "simples" sessão de cinema. Alguns filmes que tratam a questão de gênero podem ajudar a entender melhor sobre o assunto e promover o debate. Confira cinco títulos que trazem o tema.

 

A garota dinamarquesa

O longa conta a história de Lili Elbe, a primeira transgênero do mundo. Na década de 1920, os artistas Einar e Gerda Wegener se casam. Gerda decide vestir Einar de mulher para pintá-lo, ele começa um processo de transformação de gênero e passa por uma das primeiras cirurgias de mudança de sexo da história.  

Tomboy

Laure tem 10 anos e chega a uma nova vizinhança com sua família. Aos poucos, Laure vai se enturmando entre as crianças do bairro, mas identificando-se como Michael. O filme mostra como esta família enfrenta a complexidade da situação.

Ma vie en Rose

Ludovic é um menino de sete anos que começa a assumir uma identidade feminina. Ele se vê em meio à confusão da família, que ora o aceita, ora o repreende, ao passo que seus questionamentos em relação a sua identidade de gênero aumentam.

Meninos não choram

Brandon Teena é um jovem que, biologicamente, possui um corpo feminino, mas que se identifica com o gênero masculino. Ao mudar-se para uma nova cidade, Brandon apresenta-se como homem, ocultando sua identidade trans e levando uma vida dupla. Quando seu segredo é descoberto por algumas pessoas, ele passa a ser perseguido. O filme é baseado em uma história real.

Transamerica

O longa conta a história de Bree, uma mulher transgênero que, pouco antes de realizar a cirurgia de readequação sexual, descobre ter um filho de 17 anos, concebido quando ainda possuía uma identidade masculina. Encorajada por sua terapeuta, Bree viaja até Nova Iorque para encontrar o filho. Juntos, eles precisam lidar com diversos conflitos a medida que vão se conhecendo.

 

Que tal aumentar essa lista? Indica pra gente um filme que fale sobre gênero!

Comentários

Notícias


No Dia da Caridade, conheça a história de benevolência de Francidalva

Com dom de ajudar o próximo, Francidalva é enfermeira e ainda dedica a vida a cuidar de animais e de outras pessoas, por meio de projetos de caridade
Por: Camilla de Assis 18/07/2017 - 11:44 - Atualizado em: 19/07/2017 - 10:37
Francidalva e um dos seus gatos
Francidalva e um dos seus gatos
O ato de ajudar alguém ou algum ser vivo sem ser em benefício próprio e sem esperar recompensas caracteriza-se como caridade. Ironicamente instituído durante a Ditadura Militar, o Dia da Caridade é comemorado nesta quarta-feira (19).
 
Conviver socialmente é ter relações interpessoais e, assim, conhecer realidades diferentes. Algumas delas se apresentam menos favorecidas, por diversos fatores. Entre eles, estão as características hereditárias, as oportunidades oferecidas, a condição social, entre outras. Por isso, em sensibilidade às diferenças de quem se encontra à margem das condições humanas de sobrevivência, muitas pessoas praticam a benevolência e se engajam em projetos de caridade.
 
Creche comunitária
 
Uma dessas pessoas é Francidalva Borges Rodrigues, aluna do primeiro semestre de Gastronomia da UNIVERITAS. A estudante, de 47 anos, sempre foi envolvida com ações que auxiliassem o próximo. Recentemente, Francidalva participou de uma ação promovida pela UNIVERITAS, que, na Páscoa, entrega ovos de chocolate a crianças carentes auxiliadas por uma creche comunitária do Morro Dona Marta.
 
Mas a seu ímpeto de ajudar não acabou na Páscoa. Francidalva também se engajou em auxiliar a creche. Infelizmente, a estudante e enfermeira só participou de uma reunião. “O morro antes era pacificado, mas recentemente toda a atividade de tráfico voltou e eu fiquei com medo de subir e por em risco a minha vida”, explica. Mesmo assim, o objetivo é poder voltar. “Se marcarem uma reunião em outro lugar ou então mais embaixo, não tão lá em cima, eu vou, com certeza. Ou então, assim que a situação melhorar, eu irei lá”, promete a estudante.
 
Mesmo com a grande demanda de pedidos de ajuda, Francidalva afirma que qualquer auxílio faz a diferença. “Eles pedem qualquer coisa, como, por exemplo, ajudar com tijolos para construir um banheiro ou então até mesmo ajudar na construção do cômodo”, aponta.
 
Associação Protetora dos Animais Oito Vidas
 
Não só os seres humanos conquistam espaço na benevolência de Francidalva. Sua grande paixão são os animais e ela expressa isso participando ativamente na Associação Protetora dos Animais Oito Vidas, que recolhe, castra, alimenta, vacina e dá amor a gatinhos em situação de rua. 
 
Antes de entrar para o curso de Gastronomia, Francidalva atuava dando lares provisórios aos animaizinhos que precisavam de sua ajuda. “Eu levava no veterinário, cuidava, dava remédios; e muitas vezes eu dizia para as pessoas da ONG que não precisavam me dar a ração, por exemplo, que passasse para outro gatinho porque eu mesma bancava a do que eu estava cuidando em casa”, explica.
 
Mas, com a correria do dia a dia e com sua múltipla jornada diária - cuidar da casa, dos animais, das pessoas, como enfermeira, e estudar - a fez pedir licença da ONG e assumir outra função: a de distribuição de ração e água para os gatinhos. “Mas quando eu terminar a Gastronomia, vou continuar a cuidar”, promete. 
 
Benefício pessoal
 
Ajudar o próximo não é um benefício somente para quem está em condição desfavorável. Quem ajuda também ganha nessa troca, segundo Francidalva. “De forma pessoal, eu cresço como ser humano e tenho uma outra maneira de ver a vida. O menino que mora no morro pode ser o mesmo que vai te assaltar lá embaixo, no asfalto. Mas indo para a realidade dele, eu entendo porque ele faz isso”, expõe a estudante. 
 
Pelo seu amor a ajudar os animais, sua casa é repleta de bichos. Francidalva possui cinco gatos, um cachorro e um passarinho. Todos oriundos de situações de risco. Conheça aqui mais sobre a Associação Protetora dos Animais Oito Vidas.

Comentários

Páginas