Clicky

Selecione a cidade
4020-9734

Notícias


Dia Internacional do Orgulho LGBT

Por: Katarina Bandeira 28/06/2018 - 11:39

O Dia Internacional do Orgulho LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transsexuais e Travestis), celebrado no dia 28 de junho, traz consigo muitas marcas de luta por respeito, aceitação e visibilidade. Apesar de, nos últimos anos, os números relacionados à violência contra homossexuais no Brasil crescerem a níveis expressivos, o aumento de personalidades que defendem a bandeira da comunidade também tem aumentado. Na mídia, famosos chamam atenção para a representatividade da comunidade LGBT, com diferentes expressões artísticas, colocando sua identidade nos holofotes, fortalecendo a luta de tantos com a palavra que mais os define: orgulho. Para conhecê-los, separamos cinco personalidades que fazem parte da comunidade abertamente. Confira!

Daniela Mercury

A cantora virou referência em direitos LGBT ao falar abertamente sobre sua sexualidade, além de, em suas entrevistas, levantar pautas relacionadas a criminalização da homofobia e representatividade LGBT no cenário político. Casada desde 2013 com a jornalista Malu Verçosa, Daniela também protagonizou, ao lado de Ricky Martin, uma campanha da ONU por direitos igualitários chamada Free e Equal (livre e igual).

Liniker

Negra, gay, periférica e dona de uma voz poderosíssima. A cantora Liniker chamou atenção tanto por seu trabalho, quanto por seu visual livre de estereótipos. Recentemente participou de um clipe do cantor Johnny Hooker, em que chamava a atenção da violência contra homossexuais. A canção “Flutua” trazia, entre seus versos fortes, a frase: “Ninguém vai poder, querer nos dizer como amar”, que fortalece ainda mais a ideia de que amar, seja quem for, não é vergonha.

Silva

Com uma voz doce e suave, o cantor Silva não esconde de ninguém sua bissexualidade. Em suas músicas ele exalta um amor romântico que pode ser livremente interpretado, assim como são os romances de quem se apaixona independente do gênero. É importante lembrar que identidade de gênero e orientação sexual são coisas totalmente distintas e que ser bissexual nada tem a ver com indecisão a respeito da própria sexualidade. Ter relações com pessoas do mesmo sexo e do sexo oposto não as faz menos atuantes na luta LGBT.

Laerte Coutinho

Cartunista, transseuxal e cofundadora da ABRAT – Associação Brasileira de Transgêneras, Laerte é uma das maiores referências do país quando se fala de gênero. Em 2010, em uma busca pela aceitação da própria identidade, passou  a se vestir com roupas femininas publicamente, causando um furor midiático, mas chamando atenção para que as questões de gênero fossem vistas de uma forma mais natural. Seu trabalho é um dos mais reconhecidos do Brasil e suas opiniões podem ser vistas em suas tiras, publicadas em grandes periódicos nacionais.

Rogéria

Atriz, cantora, maquiadora, travesti. Rogéria (1943 - 2017), fez história na televisão brasileira, não somente por ser uma travesti atuando em uma das maiores emissoras do país, mas também por ser a única a ganhar um papel em que interpretava uma mulher cis (que se identifica com o próprio gênero), mãe e avó. Participou de peças de teatro, novelas, programas de humor e, em 2016, lançou sua biografia: Rogéria – Uma mulher e mais um pouco, de Marcio Paschoa.

 

Gostou da nossa lista? Diga outros famosos que você conhece que lutam pela causa LGBT!

 

Comentários

Notícias


No Dia do Cinema Brasileiro confira um verdadeiro time de filmes que foram premiados lá fora

Películas fizeram bonito e ganharam reconhecimento internacional
Por: Katarina Bandeira 19/06/2018 - 10:08

Enquanto a seleção brasileira está na Rússia, tentando conquistar o Hexa no mundial de futebol, nós aqui no Brasil separamos um time campeão para entrar no clima de vitórias nacionais. Celebrando o Dia do Cinema Brasileiro, comemorado no dia 19 de junho, escolhemos verdadeiros craques da telona, que fizeram bonito ao serem premiados em festivais ao redor do mundo. Prepara a camisa verde e amarela, a pipoca e confira a nossa lista, porque com essa seleção campeã nem o canarinho vai ficar pistola.

 

O Pagador de Promessas (1962)

Único filme brasileiro a conquistar a Palma de Ouro do Festival de Cannes, na França. O longa conta a história de Zé do Burro, que tem seu animal de estimação e melhor amigo - o burro Nicolau - atingido por um raio. Para  salvar o animal ele faz uma promessa à Santa Bárbara, em um terreiro de candomblé. Com o burro recuperado, Zé parte para Salvador para pagar a promessa, carregando uma imensa cruz de madeira, mas enfrenta a resistência do padre local, além de outros infortúnios. O Pagador de Promessas também chegou a receber uma indicação ao Oscar, na categoria melhor filme estrangeiro, além de receber prêmios no Festival de Cartagena e no San Francisco International Film Festival.

Central do Brasil (1998)

O filme que levou Fernanda Montenegro a ser indicada como melhor atriz, no Oscar, conta a história de Dora, uma mulher que trabalha escrevendo cartas para pessoas analfabetas, na estação Central do Brasil. A vida dela toma um rumo inesperado quando, após uma de suas clientes morrer atropelada, ela passa a ajudar Josué, de apenas 9 anos, a chegar até seu pai, que mora no sertão nordestino. O filme venceu o Globo de Ouro na categoria melhor filme estrangeiro, além de ganhar premiações no Festival de Berlim, BAFTA, Festival de Cinema de Havana, entre outros.

Cinema, aspirinas e urubus (2005)

A amizade inusitada entre Johann (Peter Ketnath), alemão fugido da 2ª Guerra Mundial, que dirige um caminhão e vende aspirinas pelo interior do país e  Ranulpho (João Miguel), homem simples que nunca saiu do sertão, é o que dá o gás da película. Após uma carona os dois passam a trabalhar juntos, exibindo filmes promocionais sobre um remédio milagroso, para pessoas que nunca sequer foram ao cinema. A direção é do pernambucano Marcelo Gomes e o filme levou o Prêmio do Sistema Educacional Francês, Festival de Santa Maria da Feira, além de passar por outros diversos festivais.

Tropa de Elite (2007)

Um dos filmes brasileiros de maior sucesso no país, a obra do diretor José Padilha mostra o dia-a-dia do grupo de policiais especiais do BOPE e seu capitão (Wagner Moura), que quer encontrar um substituto para seu posto e assim deixar o esquadrão. O filme também mostra, ao mesmo tempo, a história de dois amigos de infância se tornam policiais e querem fazer parte do mesmo esquadrão. Entre os prêmios que recebeu estão o Urso de Ouro de melhor filme no Festival de Berlim e de melhor filme no Festival Hola Lisboa.

Que Horas Ela Volta?  (2015)

É um filme delicado, que mostra o abismo entre a classe média brasileira e seus empregados, maquiados de boa convivência. Nele, a pernambucana Val (Regina Casé),  trabalha como empregada doméstica com o intuito de dar uma vida melhor para sua filha. Treze anos depois, a garota pede ajuda para ir até São Paulo prestar vestibular e os chefes de Val  a recebem em casa, mas a garota não se comporta como o esperado pelos patrões, evidenciando as desigualdades sociais entre os personagens. O filme recebeu prêmios no Festival de Sundance, Festival de Cinema de Lima,  Critics' Choice Awards, tanto em melhor roteiro, como de melhores atuações para as atrizes principais.

Aquarius (2016)

Uma viúva de 65 anos é a última moradora de um prédio que ostenta uma arquitetura multifamiliar do século XX, na praia de Boa Viagem, no Recife. O filme apresenta Clara, vivida por (Sônia Braga), seu dia a dia a, sua relação com amigos e familiares, e a batalha travada com uma construtora que pretende comprar o prédio, com o discurso que irá modernizar o local. O longa-metragem mostra temas atuais e pertinentes abordando a especulação imobiliária, passagem do tempo, a importância das memórias afetivas e a sexualidade da mulher na terceira idade. A película ganhou prêmios no Festival de Sydney, Festival de Lima, Festival de Transatlantyk, Festival World Cinema Amsterdam, Festival de Mar del Plata, Festival de Havana, entre outros.

 

Gostou da nossa lista? Deixe nos comentários mais filmes brasileiros premiados que você lembra!

 

Comentários

Notícias


Descubra a importância da química forense

Área da ciência é usada com frequência, no intuito de desvendar crimes misteriosos
Rebeca Ângelis Por: 15/06/2018 - 11:18 - Atualizado em: 19/06/2018 - 17:17
Descubra a importância da química forense
Descubra a importância da química forense

Quem é fã dos filmes que falam sobre perícia criminal, certamente, já ficou curioso em querer saber como certos crimes são descobertos, por meio de análises químicas laboratoriais. A resposta está na junção de várias ciências da área, sobretudo, a química forense. Trata-se de um ramo específico da química, que envolve prática e investigação científica conectando  duas áreas distintas: a científica (química e biologia) e a humanística (sociologia, psicologia, direito). Entenda!

O que é química forense? 

A química forense consiste na junção de conhecimentos da própria química e toxicologia (estudos de composição tóxica), no intuito de auxiliar a investigar e compreender como determinados crimes ocorreram. Trata-se de um ramo singular das ciências químicas uma vez que sua prática e investigação científica devem conectar duas áreas distintas, a científica (química e biologia) e a humanística (sociologia, psicologia, direito).

Como surgiu?

A investigação de crimes por meio da química não é de hoje que existe. Algumas teorias apontam que o filósofo Democritus foi, provavelmente, o primeiro químico a relatar tais descobertas ao médico Hipócrates. O primeiro julgamento legal a fazer uso de evidências químicas, como parte de provas ocorreu apenas em 1752, no caso Mary Blandy, na Inglaterra (famosa assassina do pó do amor, que matou seu pai por envenenamento).

Já a química forense, propriamente dita, surgiu a partir de um crime de grande repercussão, cometido em 1850, no Castelo de Bitremont- situado na Bélgica. A vítima, Gustave Fougnies, era o cunhado do conde Hippolyte Visart de Bocarmé. Este, por sua vez, teria extraído óleo da planta do tabaco e, juntamente com a condessa, a irmã da vítima, teria obrigado Gustave Fougnies a ingerir a substância.

Para provar a consumação do crime, a polícia precisava de evidências que comprovasse a preparação do veneno, no laboratório do conde. Foi então, que solicitou a ajuda do químico francês Jean Stas para solucionar o caso. Stas conseguiu desenvolver um método para detectar a nicotina nos tecidos do cadáver, fator que levou a condenação do conde por assassinato e, no ano seguinte, sua execução na guilhotina.

O que fazem os químicos forenses?

O trabalho de um químico forense é voltado para a análise de amostras colhidas por investigadores, oriundas dos locais de crimes e ocorrências. Junto a perícia, sua atividade principal se destaca em identificar materiais e conhecer a natureza de cada prova relacionada a um crime.

O profissional dessa área lida com grandes variedades de provas e amostras e, por essa razão, precisa ter conhecimentos em vários segmentos da química orgânica e bioquímica, já que terá, com frequência, de analisar fluidos de origem biológica.

O químico forense é ainda o responsável por decidir que tipo de análise será feita e quais substâncias/materiais serão necessários para chegar às provas. Entre os principais campos de atuação, destaca-se o trabalho como perito para as polícias civis de todos os estados brasileiros e para a Polícia Federal. As principais análises realizadas pela química forense são: análise de resíduos de armas de fogo, análise de manchas de sangue, identificação de adulterações em veículos e vários outros exames.

Apesar de as investigações criminais serem o aspecto mais conhecido da química forense, ela não se limita a ocorrências policiais. Esse especialista também pode dar seu parecer em:

-Decisões de natureza judicial;

-Atuar em questões trabalhistas, como determinar se uma atividade é perigosa ou insalubre;

-Detecção de adulterações em combustíveis e bebidas;

- Uso de drogas ilícitas;

-Fazer perícias em alimentos e medicamentos;

-Investigar o doping esportivo, etc.

Tem interesse em saber mais sobre a importância desse profissional? Conheça o curso de química forense da UNG!



 

Comentários

Notícias


4 histórias de superação que inspiram a Copa Mundial

Entre conquistas e derrotas, toda Copa do Mundo teve um jogador que fez história
Rebeca Ângelis Por: 13/06/2018 - 12:29 - Atualizado em: 13/06/2018 - 14:33

Nenhuma Copa Mundial é igual a outra. Desde 1930, quando a primeira competição mundial de futebol agregou vários países, no Uruguai, torcedores de todo o mundo se reúnem a cada quatro anos para vibrar por seus países. Atentam-se também a cada detalhe de máxima categoria dos melhores atletas e suas incríveis performances com a bola, no gramado.

Entre conquistas e derrotas, os melhores estádios do mundo presenciaram as mais variadas performances de atletas que mesmo sem levar, necessariamente, o título de campeão, fizeram história com seus exemplos de superação às adversidades e obstáculos em campo. Confira!

Beckenbauer e seu ombro de ouro

Em uma semifinal da Copa do Mundo de 1970, contra a Itália, o alemão Franz Beckenbauer fez história. O histórico "Kaiser" (imperador, em alemão) como é popularmente conhecido, deslocou o ombro durante o jogo e, mesmo debilitado, quis continuar a partida usando uma tipóia improvisada.

Com dores, o jogador permaneceu até o fim do jogo, que ainda teve longa prorrogação e muitas reviravoltas no placar. No entanto, apesar de todo seu esforço, a equipe alemã não conseguiu levar o título e perdeu o jogo por 4 a 3 da Itália.

Ele, que é considerado uma lenda viva do futebol alemão, foi campeão do mundo pela Alemanha como jogador e técnico do Bayern. O Ex-futebolista e lenda viva atuava como zagueiro, líbero e volante/armador, onde levou o título, em 1974. Também ergueu o troféu como técnico a frente do Bayern, por quatro anos.

                                                                    

Leônidas da Silva x chuteiras para que te quero? 

Na Copa do Mundo de 1938, na França, um integrante da seleção brasileira foi essencial para a partida: Leônidas da Silva. Considerado um dos maiores centroavantes de todos os tempos, o “Diamante Negro” ou “homem borracha”- como ficou conhecido, marcou um gol histórico de “bicicleta” descalço.

O jogo era contra a Polônia e, por conta da chuva, a chuteira de Leônidas descolou. O atleta não teve dúvidas e prontamente as deixou de lado e continuou a partida. Enquanto tentava arrumar a chuteira, o goleiro polonês deu rebote e mesmo descalço o Diamante Negro aproveitou e marcou para o Brasil.

Frantisek Planicka: o “paredão” até de braço quebrado

Em 1938, durante uma partida contra a seleção brasileira, o goleiro da Tchecoslováquia, Frantisek Planicka, jogou com um braço quebrado. O fato ocorreu quando ele se chocou com a trave, depois de defender um chute do atacante brasileiro Perácio.

Nessa época, não acontecia substituições no futebol e, caso o jogador precisasse sair, o time jogava com um integrante a menos. Para evitar o desfalque em sua equipe, principalmente tratando-se do gol, Planicka decidiu ficar até o fim.

O jogo, que ficou conhecido como "Batalha de Bordeaux", terminaria 1 a 1 depois de muitos lances violentos - que acabou com o atacante tcheco Nejedly quebrando a perna - e três expulsões.

O goleiro tcheco é sem dúvidas um exemplo de perseverança e superação. Nesse mesmo ano, foi escolhido o melhor goleiro daquele Mundial e foi lembrado pela Unesco que lhe ofereceu um prêmio pelo fair play ao longo de sua carreira de 1450 jogos e nenhuma expulsão.

Neymar: a menina dos olhos do Brasil e do mundo

Entre os exemplos mais recentes que também marcaram história, está o do jogador brasileiro Neymar Júnior. Durante a Copa Mundial de 2014, em uma partida contra a Colômbia, o atleta teve uma fratura na terceira vértebra lombar, após sofrer uma joelhada do colombiano Zúñiga, nas costas, pouco antes do final do segundo tempo.

Ele, que tornou-se a principal aposta do Brasil e é um dos jogadores mais bem pagos de todo o mundo, acabou ficando fora das finais depois do ocorrido. O jogo terminou com vitória do Brasil, por 2 a 1, e classificação para a semifinal.

A ausência do jogador nas próximas partidas decisivas foi sentida pelos torcedores, principalmente, na final contra a Alemanha que deu uma goleada de 7 a 1, levando o título de Campeã. Dois anos depois, durante as Olimpíadas, o jogador superou a derrota junto a equipe e tornou o Brasil campeão, após vencer de 5 a 4 nos pênaltis.

Em março deste ano, Neymar precisou ainda passar por um cirurgia no joelho para tratar uma fratura no pé direito e já segue recuperado para mais uma disputa em busca do hexacampeonato na Copa de 2018, que inicia neste domingo (17) . Já recuperado, o jogador volta a ser a esperança e inspiração para toda a torcida do Brasil e mundo.

                                                             

Qual dessas histórias mais te inspira? Conta para a gente! Conheça também o curso presencial de Educação Física da UNIVERITAS

Comentários

Notícias


5 lugares incríveis do Brasil que nem todo mundo sabe que existe

Engana-se quem pensa que grandes paisagens podem ser vistas apenas no exterior. Confira nossa lista e boas férias!
Rebeca Ângelis Por: 12/06/2018 - 09:47 - Atualizado em: 13/07/2018 - 11:31

Viajar é uma das coisas mais incrível que existe. Mas engana-se quem pensa que para usufruir grandes paisagens seja preciso ter que ir para o exterior. No Brasil, existem roteiros de lugares espetaculares, que nem todos conhecem, e que não fica aquém de nenhum  país de fora. Se você está de férias e pretende viajar, vale mesmo conferir nossa lista e desfrutar de uma boa viagem, quem sabe não seja sua próxima rota?! #partiu?

1-Vale do Paraíba

Um visual de tirar o fôlego se esconde no Vale do Paraíba, que se localiza no Litoral Norte, a 200 km de São Paulo, e faz ainda divisa com o Rio de Janeiro. A região, que também é bastante urbanizada, é composta por uma das mais importantes reservas naturais do país, como a Serra da Mantiqueira- que também é considerada um dos pontos mais altos do Brasil.No lugar, também ganham destaques a Serra do Mar e a Serra da Bocaina, reduto de Mata Atlântica, que inclui pequenas cidades e fazendas de interesse histórico e arquitetônico.

O Vale dispõe de muitas atrações bacanas como cachoeiras, cidades históricas, trilhas, comida boa e muita cultura interessante. Como se não bastasse o friozinho, sua localização também facilita para quem é fã de praia. A mais próxima fica a 1h30 de carro.

2-Capitólio

Considerado um importante ponto turístico de Minas Gerais, Capitólio chama a atenção de quem chega, devido as suas belas cachoeiras e rios de águas transparentes. O Cânion de Furnas é a principal atração do local, com paredes de pedra invadidas pelas águas esverdeadas do Lago de Furnas (um dos maiores lagos artificiais do mundo), formado pela represa da Usina Hidrelétrica  de mesmo nome.

Entre as principais atividades feitas por lá, destaca-se as de aventura e ecoturismo. O mar de Minas, como também é conhecido o lago de Furnas é um dos passeios mais queridos, devido aos cânions encantador e mágico, com mais de 20 metros de altura. Os passeios na cidade são realizados por catamarã, lancha, escuna ou chalana, com valores variantes a depender da embarcação.

3-Chapada das Mesas

Se cada cantinho tem uma particularidade, a Chapada das Mesas não fica de fora dessa lista singular. Localizada no Maranhão e também na divisa com o Tocantins, é também um Parque nacional que agrega belezas entre buritizais, sertões, relevos avermelhados, cânions, cavernas, cachoeiras e formações rochosas curiosas. Entre as variadas atrações desse vasto lugar ao ar livre, o Poço Azul se sobressai como um dos principais atrativos, com sua vegetação típica do cerrado. Situado a 16 quilômetros da área central da cidade de Riachão, pode ser considerado uma das seis maravilhas do estado do Maranhão.

Quem visita a cidade e também gosta de aventura pode, além do passeio, se divertir nas  práticas de esportes radicais, como o trekking, o rapel, o canionismo, o arvorismo, tirolesa, entre outros, desde que acompanhados com guias de agências especializadas. Os meses entre maio e novembro são o de clima mais seco e sem chuvas frequentes, momento ideal para visitações.

4-Pedra da Boca

Quem busca por silêncio na imensidão vai se encantar com as paisagens de formação rochosa em 336 metros de altura, na Pedra da Boca. Situada no município de Araruna, na Paraíba, também empresta o nome ao Parque Estadual, conhecido devido a uma cavidade escavada pela erosão, assemelhada a uma grande boca aberta.

Em pleno Agreste nordestino, o local carrega histórias de homens primitivos, por meio de registros de pinturas rupestres nas rochas. Entre as principais maneiras de diversão estão as escaladas, trilhas, passeios nas cavernas, roteiros de bike, rapel, etc. Por ser uma área de preservação, os passeios devem ocorrer com guias locais.

5-Inhotim

Considerado um dos mais importantes acervos de arte contemporânea do Brasil e o maior acervo de arte ar livre da América Latina, o Instituto Inhotim é museu em meio a Mata Atlântica. Localizado em Brumadinho, apenas 60 km de Belo Horizonte (MG), reúne uma coleção botânica de várias espécies raras,nativas e exóticas de todos os continentes. 

A área de visitação do Inhotim tem 96,87 hectares e compreende jardins, galerias, edificações e fragmentos de mata, além de cinco lagos ornamentais, com aproximadamente 3,5 hectares de espelho d'água. A imensidão do lugar permite ainda que os visitantes conheçam cada canto com carrinhos de golfe.

O museu a céu aberto funciona de terça a domingo e aos feriados. Dispõe de visitas temáticas, com monitores, além de visitas educativas para grupos escolares, que devem agendar previamente. Às quartas, a entrada é gratuita.

E você, qual desses lugares gostou e se interessa em conhecer? Conta para a gente nos comentários!

 

Comentários

Notícias


A importância do sanitarismo

Conservar não apenas a saúde, mas também o bem-estar da população estão entre as atribuições do sanitarista
Por: Katarina Bandeira 11/06/2018 - 12:37
Cuidar da saúde da população é algo que vai além de tratar enfermidades. Foto: Freepik
Cuidar da saúde da população é algo que vai além de tratar enfermidades. Foto: Freepik

Cuidar da saúde da população é algo que vai além de tratar enfermidades. Garantir o saneamento básico, elaborar ações para a prevenção de doenças e criar medidas para evitar e tratar epidemias, são algumas das funções atribuídas aos sanitaristas, assim como a manutenção do Sistema Único de Saúde (SUS). Muita gente não sabe, mas para garantir que pessoas não fiquem doentes é preciso, antes de tudo, cuidar do ambiente em que vivem, com medidas que beneficiem a população como um todo.

Oswaldo Cruz e o sanitarismo

Um dos exemplos práticos de como a aplicação de medidas sanitárias à população é importante para a erradicação e prevenção de doenças, está na história do sanitarista Oswaldo Cruz. Em meados de 1900, o médico tornou-se diretor geral de Saúde Pública (o que nos dias de hoje, seria correspondente ao Ministro da Saúde), cargo em que enfrentou diversos desafios, mas com o qual conseguiu ajudar centenas de pessoas.

Oswaldo tratou uma epidemia de peste bubônica, investiu em diversas campanhas de saneamento básico, combateu a febre amarela, a varíola, além de ser responsável por uma reforma no Código sanitário. Em dado momento, por conta dos surtos de varíola, o profissional instituiu a obrigatoriedade da vacina, o que revoltou a população (que iniciou um movimento chamado Revolta da Vacina), mas serviu para chamar atenção do governo para a criação de políticas de vacinação em massa.

Sistema Único de Saúde (SUS) e a Reforma Sanitária

No início dos anos de 1970, o movimento da Reforma Sanitária foi criado com intenção de inserir um conjunto de ideias necessárias para transformações na área da saúde. Tudo isso para melhorar a vida da população. As propostas apresentadas por médicos e outros especialistas, que participavam do movimento, acabaram resultando na universalidade do direito à saúde, oficializado com a Constituição Federal de 1988 e na criação do Sistema Único de Saúde (SUS).

Além das doenças

Para trabalhar com ações sanitárias é preciso entender que a função de sanitarista vai além do tratamento de doenças. O profissional é capacitado para coletar e analisar dados, planejar e programar as ações e sugerir propostas, projetos e programas para a área da saúde, de forma coletiva. Ele trabalha com promoção da saúde, proteção da saúde e recuperação da saúde.

Sendo promoção da saúde: a identificação, análise e intervenção de atividades relacionadas à Saúde Coletiva; Proteção da saúde: prestação de serviços de vigilância epidemiológica, sanitária e ambiental, controle de doenças e redução de danos; Recuperação da saúde: análise institucional, gestão de processos e práticas de cuidado, serviços e programas assistenciais e de reabilitação, entre outros.

 

Gostou da nossa matéria? Aproveite para conferir nossos cursos!

 

Comentários

Notícias


Violência infantil: não se cale, denuncie!

O Dia Internacional da Crianças Inocentes Vítimas de Agressão é lembrado, nesta segunda-feira (4), como forma de protesto
Rebeca Ângelis Por: 04/06/2018 - 11:17 - Atualizado em: 05/06/2018 - 17:54
Violência infantil: não se cale, denuncie!
Violência infantil: não se cale, denuncie!

Em pleno 2018, ações como essas das notícias, partindo geralmente dos próprios pais, responsáveis, cuidadores, familiares ou pessoas próximas, fazem crianças tornarem-se vítimas da violência com bastante frequência- segundo a Organização das Nações Unidas (ONU).

Como forma de alerta e de combate, a ONU criou, em 1982, o Dia  Internacional das Crianças Inocentes Vítimas de Agressão. A data faz um alerta nesta segunda-feira (4), sobretudo, para lembrar que todos os dias crianças são vítimas de agressão física e psicológica no mundo inteiro, inclusive nas suas próprias casas, por meio de crimes cometidos pelos pais ou parentes.

O dia relembra todas as vítimas infantis de afogamento, espancamento, queimadura, trabalho infantil, envenenamento e abuso sexual, mas também chama a atenção para a necessidade de proteção e de educação dos pequenos, que se encontram numa fase frágil, de construção de mentalidade, carácter e de valores.

Como surgiu

A importância da data serve como reflexão para toda a sociedade. Até o século XVII, não existiam políticas e leis, fazendo com que a criança fosse pouco valorizada e muito desrespeitada, tornando-se vítima de abusos sexuais, trabalhos forçados, e submetida a todo tipo de agressão.

Somente no século XIX, as crianças passam a ser percebidas como seres humanos autônomos, contribuindo para o desenvolvimento da psicologia, pedagogia, pediatria e psicanálise, no intuito de atenuar as agressões e melhorar a qualidade de vida desses menores.

Uma pesquisa realizada em abril deste ano, da organização social Visão Mundial, revelou que o Brasil é líder no ranking de violência contra crianças na América Latina. No recorte nacional, o estudo apontou que três em cada dez pessoas conhecem pessoalmente uma criança que já sofreu violência. Foram levados em conta maus-tratos como o abuso físico e psicológico, trabalho infantil, casamento precoce, ameaças on-line e a violência sexual. No estudo, foram ouvidas 6 mil pessoas, com idade acima de 16 anos, e mais de 500 entrevistados eram brasileiros.

Tipos de violência

Todo e qualquer tipo de agressão é considerado crime no Brasil. Conforme Lei no 8.069, de 13 de julho de 1990 (Estatuto da Criança e do Adolescente), que estabelece o sistema de garantia de direitos da criança e do adolescente vítima ou testemunha de violência. Assim, os tipos de violências sofridos por esses menores podem se classificar em:

*Violência corporal:

Ocorre quando atinge a integridade física da criança, ou seja, é quando a força física é usada de forma intencional e tem como objetivo ferir e lesar a vítima. Nesses casos, as agressões costumam deixar marcas no corpo, que possibilita o diagnóstico.

As marcas indicativas do abuso incluem hematomas, escoriações, lacerações, contusões e queimaduras. O grau de violência física pode variar consideravelmente e as agressões mais frequentes incluem tapas, beliscões, chineladas, chutes, cintadas, murros, queimaduras com brasa de cigarro, água quente e ferro elétrico, intoxicação com psicofármacos, sufocação, mutilação, espancamentos e agressões que conduzem à morte.

Violência Sexual:

É definida quando uma criança é usada no intuito de satisfação sexual, com base em uma relação de poder do agressor, que se utiliza de persuasão, força física e até ameaças psicológicas. Nessas situações, a violência sexual caracteriza-se de duas maneiras: sem contato físico (telefonemas obscenos, exibicionismo e voyeurismo) e com contato físico (atos físico-genitais, estupro, sadismo, pornografia e prostituição infantil). As ações do agressor podem incluir desde carícias não consentidas, manipulação de genitália, mama ou ânus, olhar perturbador e insistente, cantadas obscenas, relações sexuais.

*Violência psicológica:

É resultante de toda ação ou omissão que causa ou visa a causar dano à autoestima, à identidade ou ao desenvolvimento da pessoa. Na maioria das vezes, esse tipo de agressão inclui ameaças, humilhações, chantagens, discriminação e exploração. Costuma ser difícil de identificada por ser silenciosa e de questão comportamental. Pode levar a criança a se sentir desvalorizada, ansiosa e a adoecer com facilidade. Em situações mais graves pode até levar ao suicídio.

Não se cale. Denuncie!

Segundo a ONU, na maioria das vezes, as maiores ameaças ao bem-estar infantil estão dentro de casa, em forma de maus-tratos físicos ou negligência (outro tipo de agressão). De acordo com o Ministério da Saúde, a violência é a segunda principal causa de mortalidade global em nosso país e só fica atrás das mortes por doenças do aparelho circulatório.

Os jovens são os mais atingidos. Além deles, a violência atinge ainda, em grau muito elevado, as crianças e as mulheres. Diversos fatores contribuem para isso, entre eles, a má distribuição de renda, a baixa escolaridade e o desemprego. Dessa forma, zelar pela integridade dos pequenos não é uma tarefa exclusiva dos pais, mas também dos parentes, da comunidade, dos profissionais de saúde, dos líderes de modo geral, dos educadores, dos governantes, enfim, da sociedade como um todo.

Uma das principais maneiras de combater esse tipo de crime, é ligando para o Disque-Denúncia. O serviço recebe as informações e busca solucionar o caso com medidas protetivas à criança, além de manter as informações do denunciante. Desde que foi criado, em janeiro de 2003, o trabalho chegou a receber mais de 9.804 ligações sobre violência contra crianças e adolescentes, no Estado de Pernambuco, uma média de quatro telefonemas por dia. Onde a mãe e ou o pai aparecem como os principais agressores e a casa é o local em que a violência ocorre com maior frequência.

Não se cale! Ao saber ou notar algo suspeito, denuncie no Disque-Denúncia mais próximo de sua cidade! Todos merecem uma vida digna e humana, sem violência.

O que você achou sobre esta abordagem? Deixe sua opinião nos comentários!

Comentários

Notícias


Obesidade infantil: uma condição que pode ser evitada

No mundo, estima-se que cerca de 41 milhões de crianças, menores de cinco anos, sejam obesas ou estejam acima do peso
Por: Katarina Bandeira 01/06/2018 - 18:23
Foto: Freepik
Foto: Freepik

Em 2017, a Organização Mundial de Saúde (OMS), fez um alerta: a obesidade infantil virou uma epidemia que deve ser tratada. Uma pesquisa promovida pela instituição apontou que cerca de 41 milhões de crianças, menores de cinco anos, estão obesas ou acima do peso. O dado assusta e serve para chamar atenção à necessidade de uma mudança nos hábitos infantis, desde a alimentação até as atividades comuns do dia a dia.

Comer, brincar e amamentar

Um documentário brasileiro chamado Muito Além do Peso, já alertava, em 2012, para os malefícios da obesidade infantil, numa época em que 33% das crianças no país pesavam mais do que deveriam. A película mostra a quantidade de gordura e açúcares presentes em alimentos como sucos de caixinha, biscoito, salgadinhos, entre outros, além de alertar para outros hábitos que se tornaram parte do cotidiano das famílias e que, por conta disso, acabam contribuindo para o sobrepeso.

Para saber se uma criança está obesa é preciso calcular o Índice de Massa Corporal (IMC) que, no caso dos pequenos, é feito de forma diferente dos adultos. Caso a gordura ultrapasse os 15% da média para a idade/altura do pequeno é importante consultar um pediatra. Porém, para evitar que isso ocorra o ideal é que o acompanhamento alimentar seja feito desde a gravidez. A OMS incentiva, principalmente, o aleitamento materno - que deve ser feito de forma exclusiva até os seis meses de vida do bebê e também o consumo de alimentos frescos, não industrializados.

Causa e consequências

Uma dieta desequilibrada, com muito fast food, alimentos industrializados, refrigerantes, doces, unidos a uma rotina sedentária, onde a criança não realiza atividades físicas para queimar as calorias ingeridas, além de um histórico familiar de obesidade (genética ou adquirida) e fatores como estresse ou tédio, podem fazer com que a criança coma mais do que o recomendado e isso se reflita no seu físico e na sua saúde.

Culturalmente temos tendência a achar que crianças mais gordinhas são mais saudáveis e resistentes à enfermidades. Porém, quando o peso ultrapassa o limite do recomendado as consequências podem acarretar em doenças ou distúrbios como: colesterol alto, hipertensão diabetes tipo 2, problemas ósseos, distúrbios do sono, puberdade precoce, depressão, asma e outras doenças respiratórias, doença cardíaca precoce, baixa autoestima, entre outras.

Consulte um especialista

Crianças também são vítimas de dietas malucas, feitas para engordar ou emagrecer, que surgem como certeiras por terem passado de geração em geração. Uma tia com oito filhos, pode ter todos com metabolismos diferentes, principalmente de outras crianças na mesma idade. Fuja de “dicas” que acrescentem farinha à vitaminas ou sugiram alimentos açucarados para bebês. Apenas especialistas como nutricionistas, pediatras ou endocrinologistas podem realmente atestar a necessidade de complementos alimentares e passar dietas para ajudar no crescimento saudável dos pequenos.

 

Gostou da nossa matéria? Conheça mais fazendo algum dos nossos cursos!

 

Comentários

Notícias


Há 68 anos, o Brasil tinha sua 1ª transmissão de TV

Proporcionada pelo visionário Assis Chateaubriand, a primeira transmissão de tevê no Brasil exibiu cantor mexicano o Frei José Mojica
Por: Camilla de Assis 01/06/2018 - 10:23
Assis Chateaubriand
Assis Chateaubriand
Hoje, é muito difícil pensar em uma vida sem a televisão, que já faz parte da vida e do dia a dia das pessoas. Das 69,3 milhões de residências do Brasil, 97,2% possui pelo menos um aparelho de TV, segundo uma pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), lançada em fevereiro deste ano. Esta sexta-feira (1º), marca é marcada pelos 68 anos da primeira exibição de um programa de televisão no Brasil. Conheça abaixo como foi realizada e alguns dos programas que marcaram as gerações. 
 
A primeira transmissão
 
 
A primeira transmissão televisiva foi realizada no dia 1º de junho de 1950, depois que o visionário Assis Chateaubriand resolveu que iria ter a sua própria emissora de tevê. O magnata da comunicação, muito conhecido pelos jornalistas e estudantes de jornalismo, importou todos os equipamentos técnicos dos Estados Unidos para o Brasil, além dos próprios televisores.
 
O País, inclusive, não tinha capacidade profissional de realizar a transmissão, já que
as pessoas que trabalhavam com mídia só tinham contato com rádio. Então, Chateuabriand capacitou ou radialistas para que eles pudessem operar a emissora, já que os estúdios se assemelhavam muito aos das rádios. No dia da primeira transmissão do que viria a ser sua emissora, a TV Tupi, o magnata instalou 200 aparelhos de tevê em vários pontos de São Paulo, para que a população pudesse assistir à exibição. O primeiro programa consistiu na exibição do cantor mexicano Frei José Mojica.
 
Programas que marcaram gerações
 
Repórter Esso
 
 
O famoso programa jornalístico foi ao ar na TV Tupi, pela primeira vez, em 1952, após adaptação da homônima programação de rádio e rebatizado de O Seu Repórter Esso. O jornal ficou gravado na memória popular pela sua chamada: “E atenção, muita atenção! Aqui fala o seu ‘Repórter Esso’, testemunha ocular da História”. O final chegou em 31 de dezembro de 1970, quando foi realizada a última transmissão pela emissora.
Bônus:
Já o final do Repórter Esso, na rádio, foi comovente, em 31 de dezembro de 1968, quando o locutor Roberto Figueiredo, aos prantos, leu as últimas notícias. O locutor reserva, Plácido Ribeiro, que estava no estúdio, continuou o programa. Ainda bastante emocionado, Roberto retomou às atividades e encerrou o último Repórter Esso desejando uma boa noite e um feliz ano novo a todos.
 
Os Trapalhões
 
 
Um programa que ganhou o coração dos brasileiros, Os Trapalhões foi exibido pela primeira vez em 1977, antes do Fantástico, na Rede Globo. O roteiro contava com esquetes humorísticas, em que o grupo formado por Didi, Dedé, Mussum e Zacarias encenava diversas situações engraçadas. Os Trapalhões entrou para o Livro Guinness de Recordes Mundiais, como sendo programa de humor de maior duração, com 30 anos no ar.
 
Show do Milhão
 
 
Esse icônico programa da televisão brasileira, transmitido pela SBT, nasceu em 1999 e teve sua primeira fase encerrada em outubro de 2003. A volta do Show do Milhão aconteceu em julho de 2009 e durou até setembro do mesmo ano. Já a terceira versão, lançada em 2017, consistia em uma programação voltada para crianças, onde pessoas de até 12 anos poderiam se inscrever. O roteiro consiste em ser um jogo de perguntas e respostas, onde o participante ganha dinheiro, podendo alcançar o prêmio máximo de um milhão de reais.
 
Bom Dia e Cia
 
 
Jovens e adultos já ouviram falar no pedido “PlayStation, PlayStation”, não é mesmo? O auge do Bom Dia e Companhia foi a fase apresentada por Yudi e Priscila, em que as crianças ligavam e pediam pelo videogame. O programa também já teve apresentação de  Eliana, Jacky (Jackeline), Maísa e Silvia Abravanel, desde seu lançamento, em 1993.
 
Qual programa marcou sua época? Conte pra gente nos comentários!

Comentários

Notícias


Suspensão das aulas

Assessoria de Comunicação Por: Priscilla Ferreira 24/05/2018 - 17:55 - Atualizado em: 31/05/2018 - 12:16
Suspensão das aulas
A UNIVERITAS informa que, em função do atual cenário do País, as aulas do turno da noite desta quarta-feira (30) e de todos os turnos desta quinta-feira (31) e sexta-feira (1) da graduação, pós-graduação e EAD das unidades em São Paulo (SP) estão suspensas. 
 
As aulas da pós-graduação e EAD deste sábado (02) estão mantidas. 

Ressaltamos que a decisão visa a segurança dos nossos estudantes e não haverá prejuízos ao calendário acadêmico. Após a normalização das atividades, o calendário de provas de cada instituição será reorganizado e informado pelos coordenadores de curso.


 

 

Comentários

Páginas