Clicky

Selecione a cidade
4020-9734

Notícias


Descubra 5 áreas de atuação em Design

Um designer pode atuar em diferentes vertentes profissionais associando o planejamento gráfico às funcionalidades técnicas
Por: Henrique Nascimento 27/04/2018 - 08:48 - Atualizado em: 27/04/2018 - 08:54
Descubra 5 áreas de atuação em Design/Freepik
Ser designer gráfico é uma opção de carreira em Design
Imagine a seguinte cena: você chega em uma livraria e nas estantes os livros não possuem capas, nem são feitos de brochura ou encadernados em espiral. São só folhas de papel A4 grampeadas com textos impressos em fonte Times New Roman no tamanho doze. Um pesadelo, não é? Ainda bem que existem, nesse caso, os designers os editoriais, que fazem os textos se tornarem mais atrativos a leitura.
 

O que é design?

A palavra “design”, no inglês, tem diferentes significados. Dois deles são os verbos projetar e planejar, que dão origem a àrea profissional. Designers são profissionais responsáveis pelo planejamento criativo, técnico-científico ou artístico de algo. São várias as áreas de atuação, assim como os cursos disponíveis. Profissionais formados em Design podem trabalhar em diferentes espaços. Separamos cinco áreas para você ficar por dentro da profissão. Confira!
 

1 Design de produto

Já prestou atenção que alguns smartphones mais novos tem a parte traseira curva para se ajustar melhor à mão do usuário? Para essa ideia ser desenvolvida, com certeza, foi necessário um designer de produto. Esse profissional trabalha na criação de objetos trimendisionais que serão utilizados por diversas pessoas. A atividade está centrada no desenvolvimento da melhor aparência e funcionalidade do que será produzido. O trabalho com design de produto pode ser encontrado na criação de pequenas peças para máquinas de fábricas, como parafusos e brocas, passando por objetos cotidianos, como os móveis domésticos, indo até veículos automotivos, que já são produtos maiores.
 

2 Design Gráfico

Quem opta por esta área pode atuar na confecção de materiais gráficos impressos ou digitais. As agências de publicidade são espaços que necessitam intensamente desse profissional. Contudo, como uma boa identidade visual (branding) é primordial para qualquer empresa que queira se destacar no mercado, não faltam oportunidades nos mais variados espaços para designers gráficos.
 

3 Web design

As estruturas dos softwares de computação são feitas através de códigos, entretanto nem todas as pessoas entendem esse tipo de linguagem. O web designer é o profissional que vai promover o elo entre sites, softwares ou aplicativos e seus respectivos usuários. A interface digital é planejada por um web designer com o objetivo de unir um visual atrativo à ótima funcionalidade. Essa é uma área de atuação relacionada ao design gráfico.
 

4 Design editorial

Como apresentamos no início da matéria, os profissionais do Design Editorial são fundamentais na produção de produtos impressos e digitais, por conta do surgimento de e-books e outros formatos de publicação. A diagramação é uma das atividades mais recorrentes, sendo feita em revistas, folhetos, panfletos, livros, e até apresentações em PowerPoint. Também é responsabilidade do designer editorial trabalhar as cores e a tipografia que melhor funciona para o objetivo do material. 
 

5 Direção de arte

Lembra que falamos anteriormente das agências de publicidade como um ótimo campo de atuação profissional? Ser diretora ou diretor de arte é um dos cargos que estão disponíveis no meio publicitário. Essa função é destinada à designers que atuarão cuidando da concepção artística de campanhas audiovisuais. O trabalho é realizado lado a lado com o redator para que o texto e as informações gráficas sejam harmonizados, a fim de atingir o resultado esperado.
 
Gostou das áreas de atuação? Que tal dar uma olhada no curso de Design da UNG?
 

Comentários

Notícias


Confira os 5 erros cometidos nas seleções e não os faça

Alguns praticamos apenas por falta de atenção podem acarretar na perda da vaga de emprego
Por: Camilla de Assis 26/04/2018 - 09:07 - Atualizado em: 27/04/2018 - 07:42
Erros nas seleções
Erros nas seleções
Concorrer a uma vaga de emprego é um desejo de quem quer conquistar um lugar no mercado de trabalho. Mas, para isso, passar pelo processo seletivo nem sempre é um momento fácil para o candidato, que geralmente é submetido a testes durante a escolha. Desde o momento do envio do currículo até a entrevista, são diversos estágios que o profissional passa - e é preciso ter cuidado para não cometer erros e, assim, se sair bem durante a seleção.
 
Tais erros podem ser praticados apenas por falta de atenção ou para dar a impressão de ser um funcionário diferenciado. Para te ajudar a não ser visto com maus olhos pelos recrutadores e acabar perdendo aquela vaga, trouxemos cinco dos equívocos mais cometidos nas seleções. Confira-os e não os faça!
 
1 - Falta de entusiasmo
Sabe aquele meme “você não tinha nem que estar aqui, linda?”? Bom, essa é a frase de um recrutador para você caso perceba seu desânimo. A falta de entusiasmo na hora crucial da seleção, que é a entrevista, pode ser um tiro no pé e fazer com que você perca aquela vaga que tanto almeja. Portanto, mostre sempre a vontade de fazer parte da equipe e desempenhar seu melhor dentro da empresa. 
 
2 - Atraso
Se sua entrevista está marcada para as 10h, por exemplo, procure chegar, pelo menos, com 15 minutos de antecedência. Os atrasos são pontos negativos aos olhos dos recrutadores, porque passa a impressão de falta de entusiasmo com a vaga. E sabemos que ninguém vai querer contratar uma pessoa que não está com o famoso “sangue nos olhos”, não é mesmo? Portanto, faça a contabilidade de quanto tempo você vai precisar para chegar no local da seleção, levando em consideração o que é gasto em transporte.
 
3 - Intimidar o recrutador
Ninguém é obrigado a nada, portanto não fique cobrando uma resposta do entrevistador. Muito embora, já falamos aqui da importância do feedback, é preciso dar um tempo para que o profissional faça a seleção com calma e analise todos os pontos dos candidatos a serem avaliados. Mandar muito e-mails e ligar constantemente cobrando um resultado pode fazê-lo se irritar e desconsiderar sua posição para a vaga. O ideal mesmo é perguntar a previsão de encerramento da seleção e aguardar uma resposta meados da data combinada.
 
4 - Pretensão salarial utópica
É preciso ter muito cuidado quando for colocar a pretensão salarial para a sua função desejada. Já falamos aqui sobre isso. Ao colocar uma pretensão salarial alta demais, você pode correr o risco de não ocupar aquela vaga por querer uma remuneração acima do que a companhia pode oferecer. Já ao informar um salário muito baixo, a empresa pode não se interessar, pois sabe que na primeira oportunidade que pague mais, o funcionário irá sair. O ideal é fazer uma pesquisa com a média salarial para a área.
 
5 - Falar mal dos empregos anteriores
Não adianta ficar falando mal do emprego anterior achando que o recrutador vai gostar dessa atitude. Cuidado com o sincericídio! Ninguém vai querer contratar um profissional que fala mal das empresas por onde passa porque, caso saia da atual, também pode difamá-la no ambiente corporativo. É importante ter cuidado e deixar para tecer as críticas em ocasiões específicas - sobretudo quando fora do trabalho.
 
E você, quais erros mais evita cometer? Conte pra gente nos comentários!

Comentários

Notícias


5 dicas para melhorar sua vida financeira

Pôr fim nas dívidas envolve o planejamento e acompanhamento dos gastos
Por: Henrique Nascimento 25/04/2018 - 09:17
Controle financeiro
Controle financeiro
Contas que não fecham podem ser uma grande dor de cabeça. 62,1 milhões de brasileiros encontravam-se endividados no SPC no fim do primeiro trimestre de 2018. A maioria deles na faixa etária dos 30 aos 39 anos (51%). O endividamento provoca restrições de crédito para compras parceladas, financiamentos e empréstimos.
 
É possível evitar que se chegue a esse estágio de débitos. As soluções são mais simples do que parecem. Por isso, separamos cinco dicas para você melhorar sua vida financeira e prevenir problemas. Confira!
 
1 Tenha objetivos
O primeiro passo para uma boa organização financeira é saber onde você deseja chegar. Responda a questões como: quais sonhos deseja alcançar? Que dívidas precisa quitar? Assim que isso for definido, você poderá elaborar um orçamento que contemple o que é indispensável na organização da sua vida financeira.
 
2 Faça um orçamento
Para iniciar um orçamento é preciso anotar todos os seus gastos. Pontue os básicos (alimentação, moradia, taxas de luz e água, por exemplo), mas não esqueça dos considerados supérfluos, ligados aos momentos de lazer. Ter isso no papel ou em um planilha eletrônica proporciona uma visualização de onde você está empregando o seu dinheiro. Dessa forma, fica mais simples entender o que pode ser cortado e o que deve ser mantido.
 
É interessante trabalhar tanto com um planejamento mais imediato, ou seja, mensal, quinzenal ou de acordo com o seu calendário de recebimento do salário, quanto numa perspectiva mais ampla, anual ou semestral. A longo prazo o orçamento será fundamental para escapar das dívidas.
 
3 Quite dívidas
De nada adianta planejar apenas novas compras tendo débitos antigos. Para organizar sua vida financeira é essencial quitar as dívidas existentes. Em alguns casos é possível entrar em contato com as empresas que você está em débito e tentar um acordo, isso pode até reduzir o valor da sua dívida.
 
4 Evite comprometer a sua renda com empréstimos
Empréstimos financeiros podem parecer uma ótima solução rápida para pagar os débitos. Entretanto, os juros cobrados por financeiras podem ser altíssimos, principalmente em empréstimos consignados, o que dificulta o pagamento das parcelas. Tome cuidado para não substituir uma dívida por outra ainda maior. Dê prioridade a reorganizar seus débitos com base na sua receita salarial.
 
5 Mantenha um controle dos gastos
Muito mais que planejar, é primordial acompanhar se o orçamento está sendo seguido. Caso identifique problemas ou necessidades financeiras não esperadas, reavaliei o seu orçamento. É muito melhor recorrer a uma correção de rota em relação ao que foi planejado, do que depois 
 
É universitário e quer mais dicas de administração financeira? Veja dicas para se preparar financeiramente para o TCC.

Comentários

Notícias


Saiba a diferença entre Carta de Apresentação e Carta de Intenção

Confira 7 dicas para conquistar definitivamente a vaga de emprego dos seus sonhos
Por: Katarina Bandeira 24/04/2018 - 10:24 - Atualizado em: 26/04/2018 - 09:10
Apesar de ambas usarem a mesma ideia de mensagem, escrita, elas têm diferenças entre si. Foto: Pixabay
Apesar de ambas usarem a mesma ideia de mensagem, escrita, elas têm diferenças entre si. Foto: Pixabay
Achou que não ia ter que escrever carta? Achou errado caro amante das oportunidades de emprego. Ao galgar uma chance no mercado de trabalho, algumas vezes, você pode se deparar com a necessidade de escrever uma carta de intenção ou uma carta de apresentação. Apesar de ambas usarem a mesma ideia de mensagem, escrita, elas têm diferenças entre si e podem ser o empurrão que faltava na hora de conquistar a tão sonhada vaga profissional. Confira!

O que é a carta de intenção

Algumas empresas podem exigir, durante o processo seletivo, que o candidato demonstre o porquê almeja aquela vaga. Para isso, uma carta de intenção pode ser solicitada, sendo uma das etapas mais importantes de um processo seletivo. É através dela que o recrutador analisará as afinidades do candidato com o cargo, como ele pode contribuir com a empresa, caso seja contratado, e quais as qualidades profissionais e psicológicas que se destacam em sua personalidade. 
 
Infelizmente, escrever uma carta de intenções não é algo tão simples como parece, pois cada candidato tem um perfil e não há uma fórmula mágica para escrever a melhor carta. Porém, é possível seguir algumas dicas, como prezar pela objetividade e saber um pouco sobre a empresa que deseja trabalhar. Por ser uma ferramenta usada para identificar as habilidades do candidato, geralmente a carta de intenção é requerida na primeira ou segunda etapa do processo seletivo. Por isso é bom caprichar.

O que é a carta de apresentação

Ao contrário da carta de intenção, que é solicitada pelo recrutador durante a seleção, a carta de apresentação deve ser apresentada pelo candidato junto com o currículo. Como o próprio nome já sugere, é por ela que o interessado na vaga falará de suas principais experiências e qualificações, tentando convencer porque é o profissional perfeito para aquele cargo. 
 
É importante lembrar de endereçar a carta ao recrutador, para não correr o risco dela ser extraviada no caminho. Se você não tem qualificações ainda, tente exaltar algum conhecimento específico ou suas projeções com relação à vaga. Objetividade é muito importante na hora de redigir a sua proposta. 

Quando enviar minha carta

Apesar do seu objetivo ao escrever as cartas seja apresentar suas qualidades e qualificações como profissional, cada uma delas tem um período certo para ser enviada. A carta de apresentação (que pode ser enviada também por e-mail) deve ir no momento em que o currículo for enviado. Já a outra, de intenção, deve ser escrita apenas quando for solicitada pelo recrutador, assim, você não repetirá conteúdos durante o processo de seleção para a vaga, que podem te ajudar na hora do recrutamento. 
 
Conte nos comentários se você já precisou escrever alguma dessas cartas e como foi a experiência!

Comentários

Notícias


Conheça 5 sabores inusitados de chocolate

Fácil de ser saborizado, o chocolate apresenta diferentes combinações no mercado
Por: Henrique Nascimento 19/04/2018 - 09:30
Conheça 5 sabores inusitados de chocolate/Freepik
O chocolate é uma paixão entre os amantes de doces e sobremesas. Derivado do cacau, ele pode ser facilmente saborizado através da adição de óleos flavorizantes. As empresas do ramo, principalmente nos países norte-americanos e na Ásia, aproveitam as diferentes épocas do ano para desenvolver combinações inusitadas de chocolate, algumas bem peculiares. Separamos cinco exemplos de sabores que vão muito além da mistura com castanhas ou amendoins. Confira!
 

Chocolate com pétalas violetas/Divulgação1 Chocolate com adicional de pétalas de flores

Várias pessoas compram a barras de chocolate 65% cacau com pétalas de violetas cristalizadas. A iguaria é vendida pela chocolateria Sucré, localizada em Nova Orleans nos Estados Unidos. Também é possível encontrar pétalas de rosa na barra de chocolate ao leite. 

2 Que tal um pouco de jerimum no M&M?

Seguindo a tradição de lançar edições limitadas em diferentes épocas do ano, a marca M&M's, no mercado desde 1941, aproveita o halloweenM&M's em diferentes países para vender M&M's de abóbora, também conhecida como jerimum. Em 2017, a edição especial tinha como nome M&M’s White Pumpkin Pie. No natal norte-americano é possível encontrar as bolinhas coloridas no sabor de biscoito de gengibre, doce típico da época. 

3 Batata doce não é só pra quem é fitness

As barras de Kit Kat, em 18 anos de existência, já apresentaram mais de 200 sabores diferentes no Japão. Lá, a marca é pronunciada como “Kitto Katsu”, o equivalente a expressão que representa um desejo de vitória, por isso o chocolate costuma ser dado como presente em ocasiões especiais. As variantes de Kit Kat para os japoneses vão desde sabores mais amenos como a canela e passam por pera, queijo, pimenta, wasabi e até batata doce.

4 Chocolate com pimentão

A Sahagún, empresa estadunidense de chocolates, desenvolveu uma série de combinações de chocolates baseadas nos ingredientes mais utilizados por norte-americanos. Um destaque entre essas novidades foi o chocolate com pimentão e milho. A mistura promete um sabor apimentado combinado à textura dos grãos de milhos. Imaginando a possibilidade desse chocolate ser vendido no Brasil, com certeza adicionaremos a ervilha. 

Vosges/Divulgação5 Vai um bacon nesse chocolate aí?

Essa combinação é para quem gosta de novas experiências gastronômicas. Com boutiques de chocolates em Chicago e Nova York, a Vosges desenvolveu produtos com o bacon como ingrediente principal. São as barras de chocolate, uma coleção de trufas, caramelos e panquecas, tudo com muito bacon. Para quem pensa que essa ideia é única, a empresa Chuao Chocolatier da Califórnia, Califórnia, Estados Unidos, comercializa barras de chocolate com batatas chips. Sim, é chocolate e batinhas num único produto.

Como preparar chocolates?

O curso tecnólogo em Gastronomia da UNIVERITAS conta com a disciplina de Chocolateria. No segundo período de estudos os alunos aprenderão com professores especializados como preparar e aplicar técnicas no chocolate, realizar decoração e fazer doces. Quer ser tornar um gastrônomo? Veja mais informações sobre o curso.
 
Gostou desses sabores de chocolate? Conte nos comentários qual opção você provaria?

Comentários

Notícias


5 erros que podem ser evitados na faculdade

Rebeca Ângelis Por: 17/04/2018 - 14:18 - Atualizado em: 17/04/2018 - 14:19

Sair do Ensino Médio e iniciar uma graduação em busca da tão sonhada qualificação profissional é um novo desafio para vários estudantes. Isso porque, embora pareça ser difícil passar pela fase do vestibular, avançar cada semestre e concluir o ensino superior exige mais compromissos e responsabilidades. É, literalmente, uma fase adulta de responsabilidades e maiores requisitos que precisam ser levados a sério. Para evitar cometer erros, durante esta fase, separamos uma lista que vai te ajudar a obter êxito como estudante universitário. Confira!

1-Escolher um curso que não é a sua praia

Escolher qual carreira seguir nem sempre pode ser uma tarefa simples. Optar por uma área vai definir aspectos importantes como rotina, expectativas na vida profissional, estabilidade financeira e até mesmo satisfação em executar as tarefas que competem à área.

É muito comum que os estudantes façam a escolha de um curso e depois se arrependam no meio do caminho, perdendo mais tempo para se consolidar na carreira e até gastando mais dinheiro. Na maioria das vezes, a razão disso ocorrer se deve à pressão dos familiares, que almejam por uma área que você acredita não ser a sua.

A Coordenadora de Recursos Humanos, Mônica Andrada, explica que para evitar que isso aconteça ouvir a opinião de pessoas mais experientes podem ajudar no processo de reflexão de escolha. No entanto, é importante fazer um autoconhecimento (com testes vocacionais ou afins) para saber qual sua real escolha e o que você, independente dos outros, deseja seguir como profissional. Pesquisar sobre o curso e as disciplinas que ele vivencia também podem facilitar a tomada de decisões nesse processo.

2-Trocar a aula por festas

Engana-se quem pensa que a vida acadêmica é sempre como os filmes, cercada de festas e badalação, em que os alunos curtem a vontade e ainda avançam de semestre sem ter que estudar muito. Na vida real isso é bem diferente!

Quem ingressa em uma faculdade tem, sim, bons momentos de diversão e descontração, mas também precisa se dedicar bastante com as responsabilidades impostas de cada disciplina, impostas por seus respectivos professores. Saber equilibrar o período de lazer com as exigências do curso é o melhor caminho para conseguir se dar bem a cada final de semestre, com mais um passo próximo da tão sonhada formação profissional.

3-Faltar com frequência nas aulas

Normalmente, no início de curso, todo mundo começa assíduo e disciplinado. Porém, com o decorrer dos semestres a dispersão e falta de interesse para muitos é mais freqüente, a ponto de subestimar a importância dos conteúdos vivenciados em sala de aula. Esse é um dos mais graves erros que podem até jogar seus planos de uma vida profissional consolidada no abismo. Isso porque o excesso de faltas pode levar o aluno a reprovar o semestre, além de carregar mais disciplinas para a conclusão do curso.

Por mais que, em alguns momentos, pareça uma tortura se ver obrigado a estar presente na sala de aula, sempre é válido lembrar que ingressar em uma faculdade é projeto para que suas conquistas sejam alcançadas. Procurar se motivar com as oportunidades de crescimento profissional e focar nos objetivos é sempre a melhor escolha. Uma outra maneira de manter-se no foco é se aproximar de pessoas motivadas e que lutam com a mesma pretensão de êxito que a sua. Todos se ajudam!

4-Estudar na véspera

Aprendizagem requer uma construção contínua e por essa razão de nada adianta querer absorver todo o conteúdo do semestre às vésperas. Todos os dias tem um novo conteúdo e para ter um bom aproveitamento vale reservar um tempo todos os dias para revisá-lo e frisar tudo. Fazendo isso, assimilar e ter bons resultados na hora da avaliação será uma tarefa bastante simples. Além disso, o saber fica mais consolidado e é mais difícil se esquecer do que se estudou.

5-Não investir na carreira fora da sala de aula

De nada adianta ingressar apenas na faculdade e deixar de se atualizar com o mundo  fora da instituição. No decorrer da graduação, a formação profissional é somada às experiências que você adquire como um todo e investir em cursos e atividades extracurriculares é um dos fatores importantes para ganhar destaque no mercado de trabalho e como profissional que você pretende se tornar. Entre algumas das opções para ampliar o leque de conhecimentos estão os cursos de línguas, afinal este é, um dos principais requisitos em todas as áreas, atualmente; cursos de tecnologia em geral, principalmente relacionado à área que você pretende atuar; além dos cursos livres disponíveis pela própria faculdade.

Procurar estágio dentro da área, já para conhecer que você mais se adequa também é um dos caminhos de atualizar-se e de se qualificar. Já dizia Albert Einstein que “há uma força motriz mais poderosa que o vapor, a eletricidade e a energia atômica: a vontade". Sendo assim, lembre-se sempre que as suas escolhas e esforços são quem te guiarão para a realização profissional e pessoal, durante o desenvolver acadêmico e sucesso nos estudos!

E você? Como costuma ter um bom aproveitamento em sala? Deixe sua opinião nos comentários! Confira também 5 ideias para dar um Up na sua carreira

 

Comentários

Notícias


Confira 5 dicas infalíveis de cozinha para quem mora sozinho

Quem mora sozinho sabe como é difícil passar horas na cozinha preparando refeições apenas para si. Confira dicas práticas que vão te ajudar nessa missão!
Por: Camilla de Assis 11/04/2018 - 09:26
Dicas de cozinha
Dicas de cozinha
Quem é solteiro e mora sozinho sabe como é difícil dedicar algumas horas na cozinha para preparar alimentos para si mesmo. Muitas pessoas acham até desmotivante fazer as refeições sem ter companhia e acabam negligenciando a alimentação. Segundo os últimos dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 14,6% da população brasileira mora sozinha. Outro levantamento realizado pela Pesquisa Nacional de Saúde, em 2013, chegou à conclusão que 66,1% dos entrevistados avaliaram a saúde como boa ou muito boa, mas apenas 37,3% consome a quantidade diária de frutas e hortaliças. Outros 37,2% consomem carne ou frango com excesso de gordura. 
 
Para não entrar na roda de brasileiros que acabam comendo mal em prol da “praticidade” e acabam consumindo mais alimentos enlatados e industrializados, trouxemos algumas dicas do professor de Gastronomia Anderson Alves que poderão te ajudar no dia a dia na cozinha. Confira abaixo!
 
Faça suas compras mensal e semanalmente
Aproveite algumas horas dos finais de semana ou até mesmo durante a noite para realizar as compras nos supermercados, já que muitos trabalham no sistema de 24h. Esquematize-se para fazer as compras das coisas perecíveis, como feijão e arroz, mensalmente; e as aquisições de carnes e vegetais, queijos, etc., uma vez por semana.
 
Não se preocupe com a quantidade
Você já deve ter muito o que pensar, então não precisa ficar na “neura” sobre o quanto vai ter que cozinhar para se alimentar. Cozinhe o quanto achar necessário e guarde a sobra para uma próxima refeição. Afinal, os imprevistos acontecem e às vezes aquele macarrão do jantar do dia anterior salva vidas na hora do almoço, não é mesmo?
 
Congele as sobras
Aproveite seu potes plásticos roubados da sua mãe (até mesmo aqueles de sorvete) e congele as sobras. Lembre-se que cada comida é no seu quadrado, ou seja, cada alimento vai para um pote específico. Ao cozer, não precisa esperar que os alimentos esfriarem antes de guardá-los no congelador. Isso é um mito. Para garantir a segurança alimentar, é preciso que a comida esfrie relativamente rápido - passe de 60ºC  para 10°C em até duas horas.
 
Congele também vegetais e carnes frescos
Lembre-se da praticidade. Os legumes congelados têm as mesmas propriedades dos alimentos frescos. As carnes também permanecem com os mesmos nutrientes após a refrigeração.  A dica é comprá-los semanalmente e, quando chegar em casa, fazer os cortes e armazená-los no congelador. Após o congelamento, o prazo de durabilidade também se estende. 
 
Evite comprar guloseimas e invista nas frutas
Opte por não comprar alimentos industrializados, pois na hora que bater a fome, você irá escolher biscoitos, bolachas, salgadinhos e doces ao invés de uma refeição saudável. Comprar frutas, por outro lado, pode substituir os alimentos ricos em açúcar e são mais nutritivos. Coloque seu projeto fitness em dia!
 
E aí, qual dessas dicas você vai adotar primeiro? Aproveite e conheça nossa especialização em Práticas Gastronômicas!

Comentários

Notícias


Três países inusitados para conhecer falando inglês

Se você procura aprender um novo idioma, mas quer fugir dos lugares de sempre, confira nossas dicas para viajar pelo mundo
Por: Katarina Bandeira 11/04/2018 - 08:57 - Atualizado em: 16/04/2018 - 09:26

Falar uma segunda língua é um requisito básico para quem quer avançar na carreira. Porém, a melhor e mais rápida forma de aprender é convivendo com quem realmente fala o idioma. Dessa forma, além de conhecer gírias e sotaques é possível ter contato com diferentes culturas e pessoas, adquirindo vivências que ficarão marcadas pelo resto da vida. Infelizmente, fazer um intercâmbio não é das experiências mais baratas. Mas, se você tem condições de arcar com as despesas te damos uma ajudinha na hora de escolher o destino. Confira!

África do Sul

Com belíssimas paisagens e um dos melhores custo-benefício para quem quer fazer um intercâmbio, a chamada Nação Arco-Íris é um dos lugares em que é possível unir inglês e trabalho. A Cidade do Cabo é um dos destinos mais procurados e nela, além dos cursos tradicionais do idioma, há diversas oportunidades para quem quer tentar também realizar ações voluntárias para ajudar a população do país. O tempo de viagem é de, em média, nove horas saindo do Brasil e, para turistas brasileiros, não é preciso visto para entrar no país (para até 90 dias de viagem).

Moeda: Rand
Principais escolas de intercâmbio: EC Cape Town, LAL, International House (IH), Cape Studies, Good Hope, EF e Oxford aparecem entre as principais escolas de inglês da Cidade do Cabo.

Principais pontos turísticos: Parques nacionais como o Kruger (para quem quer ter a experiência de um safari), Rota Vinícola, Rota do Jardim (que combina praias e montanhas) e as cidades de Knysna, George e Cidade do Cabo.

Visto: Não necessário para turistas brasileiros

Índia

Com paisagens repletas de misticismo a Índia pode, em um primeiro momento, parecer um lugar inusitado para treinar o idioma norte-americano. O inglês é o segundo idioma mais falado no país, perdendo apenas para o hindu. Em um país com mais de um bilhão de pessoas isso pode facilitar o aprendizado. Muitas empresas de intercâmbio também oferecem aulas com trabalho voluntário, para enriquecer ainda mais a experiência. Além disso, é no país que estão lugares como o Taj Mahal (uma das sete maravilhas do mundo), diversos templos dedicados a deuses e a sede de Bollywood, indústria cinematográfica local, que já superou até a "rival" americana, Hollywood, em número de filmes e espectadores.

Moeda: Rúpias indianas

Principais escolas de intercâmbio: ILSC Education Group (com várias unidades, inclusive em Nova Délhi), ISMS Business School. Também é possível fazer cursos em algumas universidades indianas.

Principais pontos turísticos: A cidade de Nova Délhi (Tumba de Humayun, Qutb Minar, o Forte Red), Jaipur (a cidade rosa), Taj Mahal, templos hindus e uma variedade de currys e outros temperos que tornam a parte gastronômica também um ponto alto da viagem.

Visto: Precisa

Malta

Imagine viajar para um cenário digno de séries épicas como Game of Thrones e de quebra aprender a língua falada na série. Esse lugar é Malta. Uma pequena ilha, entre a Sicília e a Tunísia, com paisagens paradisíacas, que serviram de plano de fundo para diversas produções audiovisuais. Lá, é possível aprender o inglês britânico (por conta da proximidade com a Europa), além de que, brasileiros não precisam de visto para entrar no país (para estadias de no máximo 90 dias). Com incríveis belezas naturais é possível visitar Valletta, cidade considerada Patrimônio Mundial pela UNESCO ou Popeye Village Fun Park, um museu a céu aberto feito a partir do cenário usado no filme Popeye, de 1979.

Moeda: Euro
Principais escolas de intercâmbio: Para escolher o melhor lugar para estudar em Malta, consulte o site http://feltom.com/ (em inglês). O site é da Federação de Organizações de Ensino de Língua Inglesa Malta, uma organização sem fins lucrativos que regula diversas escolas - em diferentes cidades da ilha.

Principais pontos turísticos: Praias de água azul e cristalina como a Blue Lagoon, St. Peters Pool, a cidade de Valetta, Popeye Village, Mdina (onde fica a entrada de Westeros), Feira de Marsaxlokk, entre outros.

Visto: Não precisa (até 90 dias)

Oportunidade: Se nossas dicas fizeram você pensar em tornar o sonho do intercâmbio uma realidade o banco Santander, por meio da Universia,  está com inscrições abertas para a seleção de um programa de estágio voltado para universitários. Ao todo, são 1.200 oportunidades, além de um estágio com duração de 4 meses. Os selecionados também receberão  uma bolsa auxílio no valor de R$ 730, auxílio transporte de R$ 882, além de recesso remunerado (últimos 10 dias de contrato). Confira nossa matéria e saiba como se inscrever.

 

Gostou das nossas dicas? Conta para a gente quais lugares você gostaria de fazer intercâmbio!

 

Comentários

Notícias


Confira 5 áreas de atuação de um gestor público

No curso de Gestão Pública, o profissional está apto a atuar em áreas nas esferas públicas e privadas, sendo essas últimas com foco na responsabilidade social
Por: Camilla de Assis 03/04/2018 - 17:00 - Atualizado em: 04/04/2018 - 09:10
Áreas na gestão pública
Áreas na gestão pública
Com o momento de agitação política e econômica que o Brasil vem passando nos últimos anos, é notória a necessidade de bons administradores públicos. Seja para gerir projetos, realizar consultorias ou trabalhar na política, os profissionais de Gestão Pública são as pessoas ideais para ocupar cargos de gerência na esfera governamental, por entenderem como funciona a engrenagem do Estado.
 
Para atuar na administração pública direta, é preciso realizar concurso. Mas, nos âmbitos particulares, o gestor público atua como uma peça fundamental em um jogo de xadrez, que é responsável por otimizar recursos, capital humano e tempo. Quando atua em repartições privadas, essas são voltadas a programas ligados à responsabilidade social. Confira abaixo algumas das áreas do gestor público.
 
ONGs
A graduação em Gestão Pública permite que os profissionais atuem em Organizações Não Governamentais (ONGs). Mesmo que as ONGs não tenham relação pública, elas realizam projetos por meio de licitações e editais. O gestor público terá o papel de elaborar junto a esses coletivos as ações, como também pode ser responsável por estreitar as relações entre os representantes das organizações e os representantes públicos.
 
Política
Justamente por ter expertise na gerência de todos os recursos públicos, o profissional pode seguir a carreira política. É importante que o gestor público seja comprometido e tenha seriedade em seu trabalho. Para ser um político, é recomendado que o especialista aprofunde seus conhecimentos em história, direito, economia e sociologia, pois assim será formado um estadista estratégico com a administração pública.
 
Assessoria
Se o gestor público não tiver interesse em seguir a carreira política em si, é possível também estar lado a lado de quem opta por ser político. Senadores, deputados, governadores e prefeitos costumam andar com seus assessores, que irão realizar a comunicação, divulgação da agenda, organização de eventos, entre outros serviços. O diferencial de um gestor público, é que ele entende de como funciona a engrenagem governamental. 
 
Consultoria
Nesse segmento, o gestor público pode atuar como consultor de empresas privadas e órgãos públicos, como, por exemplo, em ações referentes a processos licitatórios. Nessa perspectiva, os profissionais da área poderão atuar nas esferas municipal, estadual e federal, seja na análise de contratos ou até mesmo na execução de planos de governo.
 
Concursos em geral
O profissional de Gestão Pública é um ótimo candidato a realizar qualquer tipo de concurso público, justamente por entender como funciona o âmbito governamental. Neste sentido, o gestor público pode atuar em diversos segmentos, sendo necessária a realização do certame para atuar na administração pública direta.
 
E você, gostou do tema? Conte pra gente nos comentários!

Comentários

Notícias


Plano de carreira: saiba o que é e como ter um

Planejamento ajuda a ampliar as expectativas profissionais e traçar objetivos
Por: Katarina Bandeira 29/03/2018 - 18:40

Definir um plano para a carreira, que nada mais é do que o caminho que você irá percorrer até chegar ao cargo que deseja. Foto: Freepik
 

Há algum tempo, o caminho percorrido pelos funcionários de uma empresa era estipulado pela própria instituição. Era atribuição do empregador mostrar quais as habilidades eram necessárias para uma promoção e o que cada trabalhador poderia esperar do cargo, como salários, expectativa de crescimento e competências adquiridas. Assim, o contratado poderia pensar no futuro dentro da empresa em 10, 20, até 30 anos. Apesar desta ainda ser uma prática comum, definir um plano para a carreira, que nada mais é do que o caminho que você irá percorrer até chegar ao cargo que deseja, está virando um planejamento pessoal.

Mudar para crescer

Se no início, o objetivo da maioria das pessoas que se lançava ao mercado de trabalho era arrumar um emprego estável e ali ficar até a aposentadoria, hoje, podemos observar uma mudança no mercado. Não é que galgar uma posição crescente na firma tenha saído de moda, porém, cada vez mais traçar um plano de carreira tem se tornado uma decisão pessoal, feita não necessariamente para o mesmo local de trabalho, mas conquistando maiores e melhores competências.

Traçando um plano tradicional

Uma dica para quem quer traçar um plano de carreira é começar já no momento da entrevista de emprego. Converse com o recrutador sobre suas expectativas em relação a firma antes mesmo da contratação. Isso ajudará você a saber se há um plano de cargos, quando e como você poderá participar dele e até mesmo até onde você poderá crescer junto à organização.

Para isso é importante conhecer bem a área de atuação do negócio que você deseja fazer parte e também ficar de olho no mercado. Tente conversar com alguém da mesma área, que já trabalhe na instituição. Isso será importante para conhecer um pouco mais sobre o local que você irá integrar. Deixe claro que seu objetivo não é apenas o salário, mas sim o crescimento mútuo, tanto profissional quanto do ambiente corporativo.

Tenha objetivos claros

Se você não quer se perder no caminho da carreira dos sonhos é preciso estabelecer metas a curto e longo prazo. O plano de carreira pode ter diferentes objetivos e durar tempos diferentes para cada pessoa. Cada um define o que é melhor para si, se altos salários ou até mesmo migrar para uma unidade em outra cidade/estado. Se você nunca fez um plano, tente começar por um de curto prazo.

Caso esteja trabalhando ou pretenda ingressar em uma organização de estrutura formal, confira qual organograma já foi definido e comece a pensar em como chegar lá. É importante lembrar que esse tipo de mudança de rota não acontece de uma hora para outra. Subir os degraus da companhia, assim como desenvolver as competências que o levarão até lá, pode levar meses ou até mesmo anos.

Fique atento as novidades

Empresas de vários tipos e tamanhos estão sempre surgindo no mercado. Se seu interesse é em alguma organização com pouco tempo de atuação e que está em fase de expansão é mais difícil prever o futuro em relação a carreira. Nesse caso, trabalhar pelo crescimento das instituição pode fazer com que você não apenas seja bem visto na firma, como o fará com que vocês cresçam juntos.

 

Gostou das nossas dicas? Conta para a gente se você já iniciou o seu próprio plano de carreira!


 

Comentários

Páginas